Brexit antes do Natal: Boris Johnson promete saída antes da data

O dirigente britânico apresentou o manifesto do Partido Conservador em Telford, West Midlands, um documento de 50 páginas que é lançado a cerca de três semanas das eleições antecipadas do Reino Unido, as “mais cruciais da história moderna”, segundo Johnson.

DR Daniel Leal-Olivas/ REUTERS

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, garantiu hoje executar o ‘Brexit’ antes de 31 de janeiro para “unir o país e resolver o caos” se os conservadores ganharem as eleições antecipadas de 12 de dezembro.

O dirigente britânico apresentou o manifesto do Partido Conservador em Telford, West Midlands, um documento de 50 páginas que é lançado a cerca de três semanas das eleições antecipadas do Reino Unido, as “mais cruciais da história moderna”, segundo Johnson.

De acordo com o manifesto, a proposta de saída do ‘Brexit’ será novamente apresentada antes do Natal, para que seja votada pelos deputados e consumada no final de janeiro do próximo ano.

A saída do Reino Unido da União Europeia, um processo conhecido como ‘Brexit’, foi um dos temas dominantes do discurso do primeiro-ministro britânico, que apresentou a separação de Bruxelas como a chave para resolver toda a “amargura e caos” e depois “dar gás ao potencial de todo o país”.

Depois das eleições, a Câmara dos Comuns deverá realizar a sua primeira sessão no dia 17 de dezembro, e nessa mesma semana será celebrado o chamado discurso da Rainha, que marca o início da legislatura do Governo.

Recomendadas

França regista recorde de novos casos de Covid-19

Com 16 mil infetados em 24 horas, os números da pandemia em França continuam a agravar-se todos os dias, fazendo temer novas medidas de controlo sanitário.

Reino Unido: Infeções por Covid-19 nas últimas 24 horas batem novo recorde diário

O total acumulado desde o início da pandemia covid-19 no Reino Unido passou hoje para 416.363 de casos de contágio confirmados e para 41.902 óbitos num período de 28 dias após um teste positivo.

Finlândia só vai permitir entrada livre a turistas de 13 países

A designada “lista verde” finlandesa integra os países onde foram detetados um máximo de 25 novos contágios por cada 100.000 habitantes e até agora incluía cerca de 20 Estados, como a Alemanha, um dos que ficou de fora.
Comentários