Brexit: Madrid seduz instituições financeiras britânicas

O regulador espanhol já está a posicionar-se na guerra concorrencial das principais capitais europeias para atrair a City londrina.

Luke MacGregor/Reuters
A bolsa e o regulador financeiro espanhol, com a ajuda do governo regional, estão a estender a passadeira vermelha às instituições financeiras que procurem uma nova casa no pós-Brexit. A Comissão Nacional do Mercado de Valores (CNMV) emitiu hoje um comunicado onde afirma estar “determinada a contribuir para fazer de Espanha a opção mais atractiva para as empresas de investimento que considerem sair do Reino Unido para outro país europeu”.

Os responsáveis espanhóis oferecem um processo especial de pré-autorizações em duas semanas, comprometendo-se a dar a resposta final, no máximo, em dois meses, além da possibilidade de submeter toda a documentação em inglês e de não impôr requerimentos legais além dos obrigatórios pelas leis europeias.

O seu ‘pitch’ às instituições financeiras londrinas inclui também factores como o clima, qualidade de vida e espaços a preços comportáveis.

A CNMV disponibiliza ainda “um único ponto de contacto” para as empresas britânicas que queiram mudar-se para Madrid e juristas de língua inglesa para “ajudar os candidatos a compreender a regulação e leis espanholas”.

Recomendadas

Contribuintes que ganham mais de mil euros continuam a reter IRS a mais, diz a PwC

A atualização das tabelas de retenção para 2019 continua a não refletir integralmente o alargamento dos escalões do IRS de 2018 para a generalidade dos trabalhadores e pensionistas com rendimento a partir de mil euros, segundo os cálculos da PwC.

FMI indica três passos para evitar uma crise de dívida pública

O artigo publicado hoje no IMFBlog, o Fundo Monetário Internacional (FMI) afirma que “a sustentabilidade da dívida de alguns países de alto risco tem sido objeto de muito debate público”, mas, no entanto, “o peso da dívida pública é um problema crescente em todo o mundo”.

Luís Pedro Martins eleito para mandato de 5 anos na Turismo Porto e Norte de Portugal

De acordo com os atuais estatutos da TPNP, o mandato da comissão executiva tem a duração de cinco anos e só pode ser renovado uma vez.
Comentários