PremiumBruno Bobone: “O ministro das Finanças determina o caminho do país e não devia ser assim”

O presidente da Câmara de Comércio e Indústria Portuguesa transmite a contestação do mundo empresarial em relação à hegemonia das Finanças, reivindicando maior protagonismo à Economia.

Bruno Pinto Basto Bobone preside à Câmara de Comércio e Indústria Portuguesa desde 2005, e é a oitava geração da sua família a liderar esta estrutura de apoio ao mundo empresarial. Um dos maiores projetos que promoveu foi o estudo “Hypercluster da Economia do Mar”, elaborado sob a orientação do ex-ministro das Finanças, Ernâni Lopes, que veio dar origem ao Fórum Empresarial da Economia do Mar. Esta quinta-feira realizou em Lisboa o ‘Growth Forum 2019’, a primeira iniciativa de um forum empresarial português, com participação de gestores globais, promovida pela CCIP. Entre as “queixas” que dirige ao Governo está a “falta de estratégia para as empresas portuguesas” e a “subjugação da política do Governo à liderança do ministro das Finanças”, que considera “um erro”. Defende maior visibilidade para o ministro da Economia, que é quem “deveria definir uma estratégia para as empresas e para o país”.

O Growth Forum 2019 surgiu para incentivar um aumento da internacionalização das empresas portuguesas?

Surgiu por várias razões. Portugal está neste momento num ponto em que tem que assumir a sua estratégia para o futuro. Estão a ocorrer alterações muito significativas que causam uma instabilidade enorme na nossa relação com a União Europeia, ao mesmo tempo que assistimos ao processo do Brexit, e que a nossa relação com os PALOP também está em evolução. Portanto, é o momento para desenhar uma estratégia, numa altura em que o mercado de Portugal é o mundo.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor.

Recomendadas

Café do vulcão cabo-verdiano do Fogo chega ao gigante Starbucks

Uma parceria estabelecida entre empresários holandeses e cabo-verdianos está a levar o café da ilha do Fogo, produzido biologicamente junto ao vulcão, à gigante norte-americana Starbucks, a maior rede de cafés do mundo.

PremiumFintech Pagaqui investe nas criptomoedas

Empresa quer continuar próxima dos pequenos retalhistas e está a criar serviços para que os clientes paguem o café com moedas digitais.

Indígenas protestam junto da sede da Repsol contra petróleo no mar brasileiro

Um grupo de indígenas brasileiros, em conjunto com representantes do movimento de proteção ambiental 350.org, manifestaram-se hoje junto da sede da petrolífera Repsol em Madrid contra o uso de combustíveis fósseis, pedindo um “mar sem petróleo”.
Comentários