Bruxelas alerta para o risco dos baixos salários em Portugal

Bruxelas considera que o país tem uma economia baseada em empregos piores em qualificações e em que as pessoas ganham abaixo da média.

A Comissão Europeia avisou que o emprego criado em Portugal é pouco qualificado e geralmente mal pago, noticia esta segunda-feira o Diário de Notícias/Dinheiro Vivo. Ao jornal, Bruxelas alertou para a existência uma economia baseada em empregos piores em qualificações e em que as pessoas ganham abaixo da média no país.

“Em 2017, o abrandamento verificado nos custos unitários do trabalho deveu-se, principalmente, ao facto de o crescimento dos salários ter continuado a ser lento. Isto pode ser explicado pela elevada proporção de empregos a ser criados em setores com perfis de baixas qualificações e salários abaixo da média”, refere ao DN um representante de Bruxelas.

Questionado pelo matutino sobre o motivo pelo qual existe um embaratecimento aparente da economia através do trabalho, o porta-voz da Comissão Europeia explica que os custos unitários do trabalho poderão estar a evoluir lentamente por causa da recuperação da produtividade, no entanto, pode dever-se aos salários baixos.

Isto porque a produtividade por trabalhador está a crescer 2,3% (2018 e 2019) e os salários médio por funcionário aumentam no máximo 1,7% ou 1,8%, nos próximos tempos, de acordo com o que adiantou o mesmo responsável ao diário. “As melhorias na produtividade estão, de facto, a conduzir a uma moderação adicional esperada nos custos unitários do trabalho em 2018”, sublinhou, em declarações à mesma publicação.

Relacionadas

OE com luz verde de Bruxelas, apesar de reticências sobre o défice

Previsões de outono da Comissão apontam falta de consolidação estrutural das contas públicas. Bruxelas emite opinião sobre orçamento no final do mês e vai utilizar “margem de apreciação” política.

Bruxelas prevê défice superior ao prometido pelo Governo para 2018

Previsões da comissão Europeia apontam para défice de 1,4% no próximo ano, quando Orçamento do Estado indica 1%.

UE/Previsões: Bruxelas revê em alta crescimento na zona euro para valor mais alto da década

A Comissão Europeia reviu hoje em alta as projeções de crescimento económico da zona euro para 2017, que estima agora que atinja os 2,2%, “o ritmo mais rápido numa década” e significativamente acima das previsões da primavera (1,7%).
Recomendadas

Politécnico de Viana do Castelo adia início do ano letivo

O arranque do ano letivo 2020/2021 estava inicialmente marcado para a próxima segunda-feira, mas só vai começar a 6 de outubro.

Fundação José Neves: “Se trabalharmos na educação teremos portugueses mais felizes, empresas mais produtivas e um país melhor”

A fundação criada pelo CEO da Farfetch foi oficialmente apresentada esta terça-feira, no Porto, sob o mote do desenvolvimento humano e de um modelo económico assente no conhecimento. “Queremos começar a criar impacto hoje”, garante o empresário.

Administradora do Santander Portugal vai liderar Agenda Digital do grupo na Europa

Isabel Guerreiro tem sido responsável pela transformação digital e inovação do banco no nosso país. Cabe-lhe agora também “assegurar a convergência e evitar a duplicação de investimentos” no continente.
Comentários