PremiumBruxelas recusa-se a deixar cair caso do procurador europeu

Ministra da Justiça vai ser ouvida no Parlamento Europeu a 4 de fevereiro. Eurodeputados querem novas explicações e contam com apoio da Provedoria.

O primeiro-ministro, António Costa, garante que a nomeação do magistrado José Guerra para procurador europeu é “assunto encerrado”, mas em Bruxelas a opinião é outra. Três dos cinco maiores grupos políticos com assento no Parlamento Europeu recusam-se a ceder à pressão da presidência portuguesa do Conselho da União Europeia (UE) para arquivar o caso e garantem ao Jornal Económico (JE) que irão até “às últimas instâncias” para apurar responsabilidades, com a aprovação da Provedoria de Justiça Europeia.

O JE sabe que a ministra da Justiça, Francisca van Dunem, foi convidada a participar na próxima terça-feira, dia 26, numa reunião no Parlamento Europeu onde a polémica nomeação de José Guerra será novamente trazida a debate. Em causa está a apresentação de dados falsos sobre o magistrado escolhido para a Procuradoria Europeia a Bruxelas, depois de um júri europeu ter escolhido a magistrada Ana Carla Almeida como melhor para o cargo.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

PremiumLagarde e Powell permitem inflação pontual

As autoridades monetárias pretendem continuar com a sua política acomodatícia apesar de “pontuais” subidas da inflação pós-pandemia.

Premium‘Dragões’ e ‘leões’ com os olhos no título e nos milhões

FC Porto e Sporting CP entram em campo separados por 10 pontos. Em causa está não só o título nacional, como a própria entrada direta na Liga dos Campeões que, no caso dos portistas, poderá levar a vendas de jogadores devido ao fair-play financeiro.

PremiumExploração espacial: Todos os caminhos vão dar a Marte

O planeta vermelho está por estes dias cheio de trânsito: três missões – dos Estados Unidos, da China e dos Emirados Árabes Unidos – evoluem em paralelo, na tentativa de darem a perceber melhor as suas caraterísticas, até porque a NASA pretende trazer amostras recolhidas pela Perseverance de volta para a Terra. Entre o sonho humano de chegar sempre mais longe e a vontade política de comandar esse sonho, Marte é a próxima fronteira.
Comentários