Bruxelas tem 12 milhões de euros para apoiar os media e já abriu candidaturas (com áudio)

Bruxelas quer apoiar os media de forma a “estimular uma esfera pública viva e diversificada” na União Europeia. A verba agora disponibilizada divide-se em quatro tipos de apoios diferentes à comunicação social, desde projetos multilingues a redes de comunicação para os mais jovens.

A Comissão Europeia fez saber esta quarta-feira que publicou quatro novos convites, no valor global de 12 milhões de euros, para apoiar os meios de comunicação social, tendo em vista a promoção do acesso dos cidadãos da União Europeia (UE) a “informações fiáveis”. Bruxelas está, assim, aberta a receber propostas no âmbito dos media.

Em comunicado, a Comissão Europeia sublinha que esta forma de apoiar os media vai “estimular uma esfera pública viva e diversificada”.

O primeiro dos quatro convites procura apoiar “conteúdos mediáticos multilingues sobre assuntos da UE através de plataformas digitais”. Este apoio tem o valor total de 1,76 milhões de euros, estando o período de candidatura aberto desde o dia 14 de junho. Os meios de comunicação social interessados têm até 15 de setembro para apresentar candidaturas. O objetivo deste apoio é incentivar a criação de “hubs de notícias” na UE.

Um outro apoio “visa aumentar a produção de conteúdos neste domínio através de uma rede de estações de rádio”. Neste caso, Bruxelas tem 2,2 milhões de euros para um único projeto candidato que procure “veicular reportagens e abra o debate sobre temas europeus, em rádio, ou em formatos digitais, de pontos de vista pan-europeus e comparando diferentes pontos de vista dentro da Europa”. As candidaturas para este apoio abriram a 26 de julho e encerram a 14 de setembro.

Bruxelas tem, ainda, um terceiro apoio, no valor de dois milhões de euros para injetar num “projeto-piloto que apoiará redes de comunicação em linha para jovens, que produzam conteúdos estimulantes sobre a atualidade através de formatos e eventos nas redes sociais”. Neste caso, a Comissão Europeia procura propostas de consórcios de media (pelo menos cinco organizações de cinco Estados-membros da UE), para “produzir diariamente conteúdos estimulantes sobre a Europa, especialmente vocacionados para jovens”. As candidaturas abriram a 2 de agosto e encerram em 21 de outubro. Bruxelas está disponível para selecionar duas propostas.

O quarto apoio consiste numa “ação preparatória para as plataformas europeias de meios de comunicação social que procurem melhorar o acesso dos cidadãos a informações fiáveis, envolvendo os organismos de radiodifusão e os editores”. Para este apoio a Comissão Europeia tem 5,98 milhões de euros para investir entre dois a três projetos. As candidaturas abriram no dia 8 de julho e encerram em 6 de outubro.

O mesmo comunicado adianta que os quatro novos convites à apresentação de projetos de media em Bruxelas estão interligados com outros dois programas europeus já lançados, nomeadamente o ‘Journalism Partnerships‘ (promove parcerias jornalísticas no âmbito do programa Europa Criativa) e o ‘Horizonte Europa para a inovação nos media‘ (para projetos focados na inovação dos meios de comunicação social).

Recomendadas

Evergrande chega a acordo para evitar incumprimento de uma das suas dívidas

O gigante imobiliário chinês Evergrande disse esta quarta-feira ter chegado a um acordo com os detentores de obrigações para evitar o incumprimento de uma das suas dívida.

Endividamento das empresas privadas em máximos de 2014 (com áudio)

Desde março de 2014 que o endividamento das empresas privadas não atingia um valor tão elevado. No final de julho, as empresas do comércio e das indústrias eram as que mais contribuíam para este endividamento.

Refinaria de Matosinhos. Galp ainda não apresentou programa de descontaminação de solos (com áudio)

Governo disse que este programa terá de ser apresentado juntamente com o projeto de desmantelamento para esta unidade industrial, o que ainda não aconteceu. Ministro do Ambiente recordou que o PDM local estipula que o local da refinaria deverá continuar a ser usado para fins industriais e não para imobiliário.
Comentários