Cabo Verde Airlines com 12 novas rotas: passa a voar diariamente para Lisboa em julho

​O presidente interino da Cabo Verde Airlines Mário Chaves revelou a nova estratégia da companhia e a expansão para 12 novos destinos internacionais, dando destaque a Lisboa. ”O turismo é uma peça muito importante na Islândia e queremos que seja muito importante em Cabo Verde”, afirmou na BTL.

A Cabo Verde Airlines vai passar a voar diariamente para Lisboa a partir de julho. Além da capital portuguesa, a transportadora vai ter outras 11 novas rotas: Boston, Washington, Fortaleza, Recife, Salvador, Dakar, Lagos, Luanda, Paris, Milão e Roma.

A nova estratégia da empresa após a privatização anunciada no início do mês foi apresentada na Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL) por Mário Chaves presidente interino da  Cabo Verde Airlines.

A companhia área revelou que vai apostar em 12 novas rotas, sendo que com destino a Lisboa a empresa cabo-verdiana vai passar a realizar voos diários desde a Ilha do Sal, em Cabo Verde, a partir de 1 de julho. “O mercado português vai ser servido com voo diário.”, começou por explicar em declarações ao Jornal Económico. ”É o único destino que temos a ser servido com voo diário. O voo diário será a partir de 1 de Julho, como tivemos no ano passado”, disse o responsável, explicando que a operação representa “um aumento relativamente ao Sal para Lisboa, não de Cabo Verde para Lisboa”.

“Hoje, temos um voo diário misturado entre Praia e Sal. Em relação ao Sal, há um aumento de três frequências e meia, porque inclui uma perna, para sete frequências. Mas, como disse, é o que operámos no ano passado”, sublinhou.

Quando questionado sobre as expectativas da companhia, Mário Chaves afirmou que “o ano passado mostrou que havia mercado para isso” e acrescentou que a “ocupação está a crescer”, daí a confiança da companhia área liderada agora pelos islandeses. “A nossa ocupação está a crescer, a privatização aconteceu agora, as ações de marketing vão arrancar. É normal que o mercado não estivesse estabelecido, havia dúvidas de que isto iria acontecer. Agora que há certezas, estamos confiantes.” vincou.

A Loftleidir Cabo Verde fechou acordo com o Governo de Ulisses Correia e Silva para comprar 51% da Transportes Aéreos de Cabo Verde ou Cabo Verde Airlines (TACV). A Loftleidir Cabo Verde é detida em 70% pela Loftleidir Icelandic e em 30% por empresários islandeses.

Durante a apresentação da nova estratégia, Mário Chaves indicou Boston, Washington, Fortaleza, Recife, Salvador, Dakar, Lagos, Luanda, Paris, Milão e Roma como os restantes novos destinos. ”A nossa missão é ligar os 4 continentes”, referiu. ”Os nossos planos são para abrir estes voos em outubro, no inverno”, salientou.

Relativamente aos aviões que terá a operar, o CEO interino adiantou que atualmente a empresa tem dois aviões a operar em permanência e que durante o verão serão três, atingido os quatro até final do ano. Até 2023, juntar-se-ão à frota dois aviões por ano até atingir os 12 aparelhos.

A Cabo Verde Airlines espera, assim que esta nova estratégia impacte o turismo no arquipélago africano, ”achamos que Cabo Verde tem hipóteses de ter um aumento de turismo e fluxo de passageiros a visitar, tendo em conta o modelo que escolhemos que foi o mesmo modelo aplicado na Islândia”, revelou ao JE. ”O turismo é uma peça muito importante na Islândia e queremos que seja muito importante em Cabo Verde”, vincou.

 

Como os islandeses vão pegar numa companhia aérea de Cabo Verde para encurtar distâncias entre África, Europa e as Américas

Ler mais
Relacionadas

Como os islandeses vão pegar numa companhia aérea de Cabo Verde para encurtar distâncias entre África, Europa e as Américas

Uma companhia islandesa comprou 51% da Cabo Verde Airlines. A Loftleidir quer comprar mais aviões para aumentar as rotas da companhia em três continentes a partir da sua plataforma na ilha do Sal.

Capital da Guiné-Conacri será o 17º destino da TAP em África

A companhia passa a voar para 17 cidades em 11 países africanos.

Companhia aérea angolana TAAG retoma voos para Cabo Verde

A transportadora aérea tinha interrompido a ligação entre Luanda e a Ilha do Sal em 2016.
Recomendadas

Economia cabo-verdiana deverá continuar a crescer nos próximos quatro anos

FMI mostrou-se também satisfeito com a privatização da transportadora área Cabo Verde Airlines. No entanto salientou que Governo deve continuar a resolver “obstáculos” que impeçam a promoção do sector privado e a promover a arrecadação de mais impostos e redução das despesas públicas.

IEFP anuncia maior programa de estágios profissionais em Cabo Verde

Trata-se de um programa que visa uma melhor inserção dos jovens recém-formados no mercado de trabalho, segundo este responsável, que explicou que este instrumento define os subsídios de estágio para jovens com licenciatura e com formação profissional.

Governo de Cabo Verde quer Santo Antão como “ilha pioneira” no turismo responsável

O executivo cabo-verdiano já prometeu, através do Fundo do Turismo, disponibilizar, nos próximos três anos, “recursos substanciais” para investimentos no turismo em Santo Antão.
Comentários