Cabo Verde mobiliza financiamento para comprar 500 carros elétricos

O Governo de Cabo Verde está a mobilizar financiamento para aquisição de 500 carros elétricos, até o final de 2019, segundo o anúncio feito pelo diretor nacional da Industria e Energias, Rito Évora, à margem da apresentação da Carta de Politica para a Mobilidade Elétrica.

O Governo de Cabo Verde está a mobilizar financiamento para aquisição de 500 carros elétricos, até o final de 2019, segundo o anúncio feito pelo diretor nacional da Industria e Energias, Rito Évora, à margem da apresentação da Carta de Politica para a Mobilidade Elétrica.

Nesse evento foram apresentadas sete viaturas 100% elétricas, compradas no âmbito de um consórcio que juntou a cooperação Luxemburguesa Centro de Energia Renováveis e Eficiência Energética e as empresas Electra e APP.

De acordo com Rito Évora, o governo cabo-verdiano está a trabalhar com a cooperação alemã para conseguir fundos para um primeiro programa de incentivos de apoio a aquisição de novos veículos elétricos com o objetivo de estimular o surgimento de um mercado de carros elétricos em Cabo Verde.

“Nós estamos a candidatar-nos aos fundos. A estratégia passa por mobilizar fundos climáticos e outros, a custo zero, para viabilizar este programa. Estamos na última fase do concurso do Nama Facilit e, se correr tudo como previsto, no final de 2019 teremos acesso a 7 milhões de euros, para adquirir 500 veículos elétricos”.

As aquisições em causa serão feitas no quadro do plano de ação da Carta de Mobilidade Elétrica, apresentada, na tarde desta quinta-feira, na Cidade da Praia.

O diretor nacional da Indústria e Energias aponta que a objetivo da carta é fazer a substituição gradual dos carros com mobilidade térmica, que utilizam combustíveis fósseis, para carros 100% elétricos, que não emitem gases com efeitos de estufa, até o horizonte de 2035.

“Numa lógica que as aquisições serão feitas gradualmente até chegar a 2035 em que serão adquiridos apenas carros não poluentes”, refere Rito Évora.

A Carta da Politica para a Mobilidade Elétrica tem, de acordo com Rito Évora, duas abordagens: uma de curto/média prazo, baseada em estímulos e incentivos e uma segunda fase mais comercial.

De entre os incentivos, Rito Évora refere que já foi dado um passo importante com a alteração, há um mês e meio, da pauta aduaneira que isenta os carros elétricos de pagamento de direito de importação.

Foi no quadro do Plano de Ação para a Mobilidade Elétrica que a cooperação luxemburguesa, através do LuxDevelopement, coordenou a aquisição de sete viaturas elétricas, tendo ficado com três; a ECREE com dois e a Electra e a Águas de Ponta Preta (APP), com um carro cada.

A cerimónia da apresentação da Carta da Politica para a Mobilidade Elétrica contou com a presença do primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva.

Para o chefe do executivo cabo-verdiano, a circulação gradual de viaturas elétricas em Cabo Verde, associado a politica para o setor das energias renováveis, em curso, servem o país tanto do ponto vista ambiental como económico.

Ler mais
Recomendadas

Presidente de Cabo Verde considera Moçambique referência democrática na CPLP

O Presidente cabo-verdiano defendeu que seria desejável que os resultados das eleições gerais fossem aceites por todas as forças políticas.

Polícia Judiciária: “Caso de Luís Giovani extravasou a investigação criminal e gerou alarme social”

A PJ disse esta sexta-feira que a investigação continua, apesar dos cinco detidos. O jovem cabo-verdiano, que estudava em Bragança, faleceu a 31 de dezembro de 2019 vítima de agressões físicas. “Isto não se trata de um crime de um país ou de outro ou de raças. Algumas das notícias minoritárias que foram veiculadas não têm qualquer fundamento”, assegurou Luís Neves.

Cabo Verde Telecom afirma que tem planos para o 5G ainda em 2020

O ‘chairman’ da operadora de telecomunicações cabo-verdiana afirma que a rede 4G chega a cerca de 40% da população do arquipélago, com uma velocidade “muito forte”.
Comentários