Cabo Verde mobiliza financiamento para comprar 500 carros elétricos

O Governo de Cabo Verde está a mobilizar financiamento para aquisição de 500 carros elétricos, até o final de 2019, segundo o anúncio feito pelo diretor nacional da Industria e Energias, Rito Évora, à margem da apresentação da Carta de Politica para a Mobilidade Elétrica.

O Governo de Cabo Verde está a mobilizar financiamento para aquisição de 500 carros elétricos, até o final de 2019, segundo o anúncio feito pelo diretor nacional da Industria e Energias, Rito Évora, à margem da apresentação da Carta de Politica para a Mobilidade Elétrica.

Nesse evento foram apresentadas sete viaturas 100% elétricas, compradas no âmbito de um consórcio que juntou a cooperação Luxemburguesa Centro de Energia Renováveis e Eficiência Energética e as empresas Electra e APP.

De acordo com Rito Évora, o governo cabo-verdiano está a trabalhar com a cooperação alemã para conseguir fundos para um primeiro programa de incentivos de apoio a aquisição de novos veículos elétricos com o objetivo de estimular o surgimento de um mercado de carros elétricos em Cabo Verde.

“Nós estamos a candidatar-nos aos fundos. A estratégia passa por mobilizar fundos climáticos e outros, a custo zero, para viabilizar este programa. Estamos na última fase do concurso do Nama Facilit e, se correr tudo como previsto, no final de 2019 teremos acesso a 7 milhões de euros, para adquirir 500 veículos elétricos”.

As aquisições em causa serão feitas no quadro do plano de ação da Carta de Mobilidade Elétrica, apresentada, na tarde desta quinta-feira, na Cidade da Praia.

O diretor nacional da Indústria e Energias aponta que a objetivo da carta é fazer a substituição gradual dos carros com mobilidade térmica, que utilizam combustíveis fósseis, para carros 100% elétricos, que não emitem gases com efeitos de estufa, até o horizonte de 2035.

“Numa lógica que as aquisições serão feitas gradualmente até chegar a 2035 em que serão adquiridos apenas carros não poluentes”, refere Rito Évora.

A Carta da Politica para a Mobilidade Elétrica tem, de acordo com Rito Évora, duas abordagens: uma de curto/média prazo, baseada em estímulos e incentivos e uma segunda fase mais comercial.

De entre os incentivos, Rito Évora refere que já foi dado um passo importante com a alteração, há um mês e meio, da pauta aduaneira que isenta os carros elétricos de pagamento de direito de importação.

Foi no quadro do Plano de Ação para a Mobilidade Elétrica que a cooperação luxemburguesa, através do LuxDevelopement, coordenou a aquisição de sete viaturas elétricas, tendo ficado com três; a ECREE com dois e a Electra e a Águas de Ponta Preta (APP), com um carro cada.

A cerimónia da apresentação da Carta da Politica para a Mobilidade Elétrica contou com a presença do primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva.

Para o chefe do executivo cabo-verdiano, a circulação gradual de viaturas elétricas em Cabo Verde, associado a politica para o setor das energias renováveis, em curso, servem o país tanto do ponto vista ambiental como económico.

Ler mais
Recomendadas

Portugal e Cabo Verde no topo da liberdade de imprensa

Os Repórteres Sem Fronteiras referem que, “apesar de os jornalistas serem mal pagos” e haver mais “insegurança no trabalho”, em Portugal, “o ambiente investigativo é relativamente calmo”. De Cabo Verde exaltam a “ausência de ataques” a estes profissionais.

Justiça cabo-verdiana arquiva denúncia-crime do maior partido da oposição

A Procuradoria-Geral da República anunciou esta quinta-feira o arquivamento da denúncia-crime apresentada pelo maior partido da oposição (PAICV) contra a Câmara Municipal da Praia, que alegava “indícios de gestão danosa e irregularidades” na construção de um mercado.

Banco de Cabo Verde revê em alta crescimento económico para 2019

O novo relatório de política monetária do banco central cabo-verdiano aponta para um crescimento do PIB do país africano na ordem dos 5%.
Comentários