Cabo Verde quer aproveitar criar ‘hub’ tecnológico no Atlântico Médio

O cabo “EllaLink” atende as características mais elevadas da indústria das telecomunicações submarinas e é composto por quatro pares de fibra, salientando que nesta primeira fase, os países interconectados são Portugal (Funchal), Cabo Verde (praia de Portinho) e Brasil (Fortaleza).

O engenheiro Graciano Borges afirmou esta quinta-feira que Cabo Verde quer aproveitar as oportunidades para criar um hub tecnológico no Atlântico Médio, realçando que a instalação do cabo “EllaLink” irá ajudar na promoção do desenvolvimento económico e tecnológico do país.

Graciano Borges fez estas afirmações em declarações à imprensa, à margem da cerimónia de amarração do Cabo Submarino “EllaLink”, realizada, na praia do Portinho, em Achada Grande Trás, avançando que a ativação do sistema poderá acontecer em finais de Junho deste ano.

Segundo informou, o cabo “EllaLink” atende as características mais elevadas da indústria das telecomunicações submarinas e é composto por quatro pares de fibra, salientando que nesta primeira fase, os países interconectados são Portugal (Funchal, na ilha da Madeira), Cabo Verde (praia de Portinho) e Brasil (Fortaleza).

Posteriormente, avançou, serão abarcados outros países da sub-região africana, como a Mauritânia, Marrocos seguidamente Canárias e Brasil, referindo que com este projecto será possível reduzir em quase 50% a latência.

“Este cabo terá uma capacidade inicial de 30 terra bites e a CV Telecom, nesta primeira fase, terá uma capacidade de 400 gigabits para a Europa e 200 para o Brasil, sendo certo que essas capacidades com o desenvolvimento e a demanda do mercado, poderão atingir 12 terabytes de capacidade de tráfego”, realçou, sublinhando que esta é uma oportunidade única de Cabo Verde vender capacidade e trazer todo o tráfego da região africana para encaminhar para os continentes europeu e americano.

Informou, por outro lado, a construção da estação terminal dos cabos submarinos e que futuramente serão instalados outros cabos submarinos na Praia de Portinho, reiterando que o cabo “EllaLink” irá permitir alargar a capacidade de comunicação do país com o mundo.

Graciano Borges realçou que Cabo Verde quer aproveitar as oportunidades para criar um hub tecnológico no Atlântico Médio, reforçando que a CV Telecom enquanto operadora de telecomunicações quer igualmente tirar proveito das oportunidades para fazer negócio.

“Já temos acordo de pré-venda, portanto, há países aqui da nossa sub-região que estão dependentes do único fornecedor deste tipo de serviços e já vendemos a capacidade ao Senegal. A nossa pretensão é não se limitar apenas ao Senegal porque há toda a região oeste africana, que mesmo não tendo praias fronteiras marítimas poderão associar-se ao Senegal e vir a Cabo Verde e chegar à Europa”, referiu, apontando que o projeto do cabo “EllaLink” em Cabo Verde está orçado em 175 milhões de dólares.

O Sistema “EllaLink” é um cabo submarino de fibra ótica de última geração, projetado para atender à demanda de tráfego entre a Europa e a América Latina, com possibilidade de inclusão do tráfego da região da CEDEAO, a partir de Cabo Verde.

Ler mais
Recomendadas

Santo Antão vai ter quinto aeroporto internacional de Cabo Verde com pista de 2 mil metros

O aeroporto internacional de Santo Antão vai ficar localizado na zona de Ponta do Morro Preto, a sete quilómetros da cidade do Porto Novo, e nas imediações de Casa de Meio, no mesmo concelho.

Marcelo Rebelo de Sousa vence prémio da CPLP 

Segundo o embaixador Francisco Ribeiro Telles, “o Presidente Marcelo Rebelo de Sousa foi escolhido por consenso” entre os membros do júri, os embaixadores dos nove Estados-membros da CPLP.

Portugal vai entregar 60 mil testes à Covid-19 a Cabo Verde, Guiné-Bissau e São Tomé e Príncipe

As três nações dos PALOP recebem o material de diagnóstico e rastreio ao coronavírus entre esta sexta-feira e sábado.
Comentários