Caixa Geral está a vender Mercedes para atingir metas da recapitalização

Campanha de crédito “imbatível” está a chegar por email a clientes. Banco justifica com metas “extremamente exigentes”. E diz que não está a promover o endividamento, pois clientes acederiam na mesma a outras opções de financiamento do mercado.

A Caixa Geral de  Depósitos (CGD) está a enviar emails a clientes do banco público para vender a crédito automóveis da marca Mercedes-Benz Classe A. A campanha é apontada como “imbatível”  com rendas mensais de 331 euros a 72 meses e foi lançada no início desta semana, dirigindo-se a todos os clientes da Caixa, independentemente do envolvimento financeiro. Em breve vai estender-se também a empresas para venda de furgões comerciais da mesma marca.

Ao Jornal Económico fonte oficial do banco público  justificou  a campanha com necessidade de atingir “metas  extremamente exigentes decorrentes do plano de recapitalização acordado com as autoridades Europeias”. Um plano que levou à injecção de capital de cinco mil milhões de euros e que obrigou a CGD a implementar um plano estratégico até 2020 que prevê objetivos ao nível da eficiência (redução de custos operacionais em 20% até 2020) e rendibilidade com uma rentabilidade dos capitais próprios (RoE) acima dos 9%, segundo avança o Jornal Económico esta sexta-feira, 26 de abril (acesso pago).

Fonte oficial da CGD assegura agora que para atingir as metas do plano de recapitalização “tem de atingir níveis de rentabilidade que, face ao enquadramento conhecido do nível das taxas de juro, passa necessariamente pela concessão de crédito, preferencialmente numa lógica de longo prazo”. E avança que a campanha de leasing automóvel termina a 30 de junho.

 

Recomendadas

Adeus, caderneta bancária. Levantamentos de dinheiro acabam este sábado

Esta medida é uma consequência direta da entrada em vigor das novas regras europeias, que exigem mais segurança nas operações bancárias. Clientes do Montepio Geral, Caixa Geral de Depósitos e Crédito Agrícola vão ter de passar a usar somente o cartão de débito para levantar dinheiro.

Sindicatos bancários aplaudem “papel responsável” da DGERT e dizem que negociação para 2019 com o BCP “não está fechada”

Sindicato Nacional dos Quadros e Técnicos Bancários, Sindicato dos Bancários do Norte e Sindicato Independente da Banca asseguram que não voltarão “a baixar os braços” porque pediram 2,38% de atualização de tabelas e cláusulas pecuniárias e o banco retorquiu com 0,6%.

João Moreira Rato e Luís Pereira Coutinho eleitos em AG para liderar Banco CTT até 2021

Na sequência da notícia divulgada pelo Jornal Económico de aprovação do Banco de Portugal, os CTT realizaram ontem a assembleia-geral do banco e elegeram os órgãos sociais para o triénio 2019-2021. Na comissão executiva fica Luís Pereira Coutinho como presidente, sendo os vogais João de Mello Franco, Pedro Coimbra e Nuno Fórneas.
Comentários