Calçado vegan? Sim, também já há

Uma empresa da Póvoa de Lanhoso considera que nem mesmo uma indústria tradicional como o calçado precisa de recorrer a produtos que, do ponte de vista da sustentabilidade, não fazem sentido.

A Verney é uma marca de calçado inovadora, que tem na sustentabilidade a sua principal razão de ser e para isso transformou aquela arte em mais um derivado da produção vegan. Nascida no norte de Portugal há cerca de dois anos, a empresa surge no sentido de que são necessárias “escolhas mais conscientes e ecológicas na hora de comprar e optar por marcas sustentáveis e adeptas do movimento slow fashion, que respeitam normas de responsabilidade ambiental e social”, referem os seus responsáveis.

É assim que a Verney “oferece um novo conceito de marca de calçado que respeita o meio ambiente e permite que as mulheres possam estar sempre na moda, ao optar pela criação de modelos intemporais e adaptados a cada estação”.

Cristóvão Soares, gestor da empresa, explica que “a Verney permite às mulheres comprarem menos, mas comprarem melhor e de forma mais consciente. Não necessitam de uma grande quantidade de modelos para estarem na moda e adaptarem os seus looks às necessidades do dia-a-dia. Na Verney, tanto podem encontrar modelos para passeios ao ar livre, como para empregos exigentes”.

Localizada na Póvoa de Lanhoso, Braga, a Verney conta com uma estrutura organizacional diferenciada, “composta por profissionais autónomos e empreendedores, com elevados conhecimentos nas mais diversas áreas inerentes à gestão e à indústria do calçado”. Além disso, a empresa trabalha com diversos parceiros de Guimarães, Felgueiras e S. João da Madeira, com mais de 30 anos de experiência no setor, que garantem mão-de-obra qualificada e reconhecida mundialmente.

“A Verney assume valores e princípios importantíssimos, no que diz respeito à proteção do meio ambiente e valorização dos recursos naturais e humanos. Surge como resposta à necessidade de uma sociedade feminina, de consumo mais consciente, principalmente, no que toca ao calçado, trazendo opções de modelos intemporais, adaptáveis a todos os tipos de mulher e look, fabricados em Portugal, por mãos talentosas e reconhecidas em todo o mundo”.

Recomendadas

A organização orientada ao cliente

Para ser orientada ao cliente, uma empresa não precisa de criar novas competências técnicas, apenas de se reorganizar para criar vantagens competitivas sustentáveis face à concorrência.

PremiumTomás Correia impugna condenação do Banco de Portugal

O atual presidente da Associação Mutualista Montepio Geral entregou no fim de maio no Tribunal de Santarém a ação de impugnação do processo de contraordenação que aplicou uma multa de 1,25 milhões. O Jornal Económico sabe a juíza aceitou a ação de impugnação e, “ao contrário do Ministério Público vai chamar testemunhas”, diz fonte conhecedora do processo.

Lista secreta de devedores da banca deverá ser hoje divulgada de forma agregada, sem nomes e créditos individuais

Só deverão ser divulgados dados agregados, não individualizando devedores e respectivas operações dos sete bancos que receberam ajudas públicas nos últimos 12 anos. Valor total de créditos concedidos e valor agregado de perdas deverão ser hoje conhecidos.
Comentários