Câmara do Funchal aprova empréstimo de cinco milhões de euros para auxiliar área social e economia local

Dos cinco milhões de euros, 2,5 milhões de euros vão para as áreas sociais, educativas, e culturais, e os restantes 2,5 milhões de euros são aplicados na economia local e comércio municipal.

A reunião de Câmara do Funchal aprovou um contrato de empréstimo de cinco milhões de euros para responder aos efeitos provocados pela pandemia. 2,5 milhões de euros vão para as áreas sociais, educativas, e culturais, e os restantes 2,5 milhões de euros são aplicados na economia local e comércio municipal.

Na cultura vão ser canalizados de 475 mil euros, para o apoio social vão 1,8 milhões de euros, e 190 mil euros para reforçar programa Funchal Educa+.

Será criado um fundo de apoio à economia local que terá 1,1 milhões de euros, enquanto que 1,3 milhões de euros vão para apoio ao comércio municipal.

O presidente da Câmara do Funchal, Miguel Gouveia, disse que a autarquia do Funchal procurou, através deste empréstimo, tomar medidas preventivas, ao perceber que muitas famílias podem ficar em condições sócio-económicas piores em brevemente em comparação com a atualidade, reforçando a necessidade de se encontrar uma rede de apoio social às famílias.

Recomendadas

Tem lareira ou recuperador de calor? Limpeza da chaminé é fundamental para que a possa acender com segurança no inverno

Antes do período de maior frio deve-se realizar-se a limpeza periódica, eliminando a substância creosoto, assim como outros detritos que se possam acumular nas chaminés, deve ser feita por empresas especializadas. Estas devem emitir um certificado que iliba a responsabilidade dos proprietários da habitação.

António Lopes da Fonseca: “Não podemos ter medo de enfrentar o Partido Socialista na República”

O  deputado falava na sessão de encerramento das Jornadas Parlamentares, que decorreram nos dois últimos dias no Four Views Oásis, no Caniço.

Madeira: Juventude Socialista apresenta moção “Madeira 2030: Uma nova geração de Polític@s”

Sara Cerdas assina o texto relativo às políticas europeias, Olavo Câmara as políticas nacionais e Marina Barbosa as políticas regionais.
Comentários