Câmara do Funchal propõe acolher Dia de Portugal em 2021

O autarca manifestou, por fim, “a total disponibilidade” do Município do Funchal para, logo que existam condições, comemorar na cidade, o 10 de Junho, “celebrando simultaneamente a nossa vitória coletiva sobre a epidemia. Será uma honra e propomos que assim seja no próximo ano.”

O Presidente da Câmara Municipal do Funchal, Miguel Silva Gouveia, reagiu oficialmente à decisão do Presidente da República em cancelar as comemorações deste ano do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas que decorreriam, em junho, na cidade do Funchal.

Em missiva enviada a Marcelo Rebelo de Sousa, Miguel Silva Gouveia sublinha que “dadas as circunstâncias, é com total compreensão e solidariedade que recebemos a decisão do Sr. Presidente da República, cabendo-me afirmar a determinação da Câmara Municipal do Funchal em fazer tudo o que estiver ao seu alcance no sentido de salvaguardar a saúde pública, manter em funcionamento os serviços essenciais e promover o bem-estar económico e social da nossa população.”

O autarca manifestou, por fim, “a total disponibilidade” do Município do Funchal para, logo que existam condições, comemorar na cidade, o 10 de Junho, “celebrando simultaneamente a nossa vitória coletiva sobre a epidemia. Será uma honra e propomos que assim seja no próximo ano.”

Relacionadas

Marcelo: Celebrações do dia de Portugal na Madeira e África do Sul adiadas para 2021

As celebrações este ano vão assim ter lugar em Lisboa, com “os cuidados impostos pelas circunstâncias”, afirmou o Presidente.
Recomendadas

Madeira atinge os 50 casos positivos de coronavírus

Esta semana termina a quarentena obrigatória para um primeiro grupo que cumpre o isolamento em unidade hoteleira. Neste sentido, foram já realizados 27 testes de rastreio à Covid-19 que aguardam resultado.

Cartões contactless com novo limite de 50 euros

Esta medida surge no âmbito da pandemia da COVID 19, procurando assim o Governo alargar e manter as recomendações de distanciamento social, incentivando-se os pagamentos “sem contacto”.

Linha de apoio a empresas da Madeira de 100 milhões de euros tem acesso universal

O início da operação será entre 20 e 24 de abril, e o período de vigência até 31 de dezembro de 2020. Se existir quebra de faturação de 40% e se as empresas mantiverem os postos de trabalho no período de carência de 18 meses o apoio transforma-se em fundo perdido.
Comentários