Câmara do Seixal denuncia “atentado ambiental” no rio Tejo depois de vídeo revelar descargas ilegais

Situação foi denunciada em vídeo nas redes sociais. Joaquim Santos já pediu explicações à Simarsul, a empresa pública responsável pelo tratamento de esgotos do concelho. A empresa, por sua vez, fez saber que a descarga deveu-se a uma avaria numa das estações do subsistema de saneamento do Seixal, provocada pela “utilização incorreta da rede de esgotos por parte dos utilizadores”.

O presidente da Câmara Municipal do Seixal, Joaquim Santos, recorreu à sua conta de Facebook para denunciar a realização de descargas indevidas de águas residuais no rio Judeu, afluente do rio Tejo através da baía do Seixal, pela empresa pública Simarsul.

“A autarquia já pediu explicações a esta empresa pública do Estado sobre o sucedido, tendo denunciado este atentado ambiental à Inspeção-Geral da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território (IGAMAOT)”, lê-se na publicação de Joaquim Santos, autarca eleito pela CDU nas eleições de 2017.

Para Joaquim Santos, “este atentado ambiental” não pode acontecer , nem é justificável, quando “a autarquia tem milhões de euros na requalificação ambiental e paisagística” do concelho do Seixal, para “melhores condições ambientais”.

Anualmente, de acordo com o chefe do executivo camarário, são investidos “cerca de seis milhões de euros” no tratamento de esgotos do concelho seixalense. A verba mencionada por Joaquim Santos vai diretamento do erário público para os cofres da empresa do Estado Simarsul.

Desta forma, o autarca manifestou publicamente desagrado pela “descarga indevida na baía do Seixal ou noutro qualquer local, sem tratamento”.

Também no Facebook, em diversos grupos públicos de munícipes do Seixal, encontram-se comentários e vídeos a descrever e a questionar a situação. O vídeo abaixo foi partilhado no grupo “Contaminados do Seixal”, na terça-feira, 12 de novembro.

De acordo com o sítio do jornal regional “Diário do Distrito“, a Simarsul justifica a situação, verificada ao longo desta semana, com uma avaria técnica na Estação Elevatória do Porto da Raposa, na segunda-feira, 11 de novembro. A empresa do Estado fez saber que a avaria na estação do subsistema de saneamento do Seixal teve origem na afluência de “materiais impróprios às redes de esgotos, decorrentes da utilização incorreta por parte dos utilizadores”.

O episódio deixou a Estação Elevatória do Porto da Raposa “fora de serviço, ativando a descarga de emergência que protege a infraestrutura de situações anómalas”, citou aquele jornal regional.

A Simarsul garantiu que à data de 13 de novembro – aquando da publicação do autarca do Seixal – a instalação já se encontrava “a funcionar sem anomalias”.

Recomendadas

IMT proíbe circulação de veículos ferroviários sem controlo de velocidade (Convel)

No início desta semana, administração da IP revelou que tem uma solução credível, proposta pela Critical Software. Órgão regulador do setor dos transportes “requereu uma avaliação urgente da viabilidade da solução e, caso viável, a consequente implementação igualmente urgente”.

NBA lança-se no mundo das apostas com o serviço NBABet Stream

Com a legalização das apostas desportivas nos EUA em 2018, a NBA torna-se a primeira grande liga desportiva dos EUA a atacar o mercado.

Siza Vieira sobre a possibilidade de adeptos nos estádios: “É mais importante que os jogos se realizem em segurança”

“É mais importante garantirmos a segurança de que as atividades se realizem sem percalços e com limitações do que permitir flexibilidade e depois ter de voltar atrás”, realçou o ministro à margem da conferência sobre o ‘Futebol Profissional e Economia Pós Covid-19’ que decorreu em Oeiras.
Comentários