Canal 11 no ‘Jogo Económico’: Qual a estratégia para levar o futebol a quatro milhões de casas

O canal da Federação Portuguesa de Futebol estreia no próximo dia 1 de agosto e quer chegar a quatro milhões de casas. Conheça a estratégia de Nuno Santos, diretor do Canal 11.

Nuno Santos, diretor do Canal 11, é o convidado da próxima edição do ‘Jogo Económico’, transmitido no site do Jornal Económico e nas redes sociais.

O canal da Federação Portuguesa de Futebol estreia no próximo dia 1 de agosto e quer chegar a quatro milhões de casas. Promete acompanhar de perto jogadores, técnicos e responsáveis do futebol português e não está de lado a possibilidade do canal ir a jogo no mercado dos direitos de transmissão de campeonatos.

Que desafio representa para o Canal 11 competir com outros produtos media de desporto e de que forma vai este novo canal resgatar a essência do futebol discutido enquanto modalidade e não como produto de polémica e intriga? Conheça as respostas de Nuno Santos, num debate que contará como sempre com a presença dos comentadores Luís Miguel Henrique e João Marcelino.

Recomendadas

Domingos Soares de Oliveira: “não há neste momento qualquer situação oficial entre o Benfica e o treinador Jorge Jesus”

“Conforme é sabido, o nosso presidente tem uma relação pessoal com o treinador Jorge Jesus, portanto é natural que converse com o treinador, mas não não há neste momento qualquer situação oficial entre o Benfica e o treinador Jorge Jesus”, vincou Domingos Soares de Oliveira.

Rui Gomes da Silva: “Aumento do empréstimo obrigacionista? Poderá servir para pagar os valores absurdos de Jorge Jesus”

Em entrevista ao JE, Rui Gomes da Silva coloca em causa o projeto desportivo da Benfica SAD e, a poucos dias da eventual confirmação do título por parte do FC Porto, o advogado questiona como é que “um clube intervencionado pela UEFA” quase ganha três títulos consecutivos ao Benfica que, de acordo com os seus responsáveis, tem apresentado resultados financeiros “do outro mundo”.

PremiumSem turistas ingleses, situação da indústria do golfe “vai ser dramática”

Decisão de Boris Johson pode provocar perdas de mil milhões de euros só nos meses de julho e agosto no setor do turismo. Presidente do Conselho Nacional da Indústria do Golfe “estranha” opção do Reino Unido, mas não crê em teorias da conspiração e admite que podem ter existido falhas do Governo de Portugal.
Comentários