Carros elétricos: postos de carregamento fora de serviço fazem disparar reclamações

“Maioria das reclamações prende-se com o facto de os postos de abastecimento não estarem a funcionar devidamente, um problema que se estende de norte a sul do país”, explica o Portal da Queixa.

O Portal da Queixa registou mais de 20 reclamações dirigidas à Mobi.e, entidade que gere a rede de postos de carregamento de carros elétricos em Portugal, desde o início do ano. Em 2017, foram registadas nove reclamações e em 2016 apenas três.

Em comunicado, o Portal da Queixa revelou que “a maioria das reclamações prende-se com o facto de os postos de abastecimento não estarem a funcionar devidamente, um problema que se estende de norte a sul do país, onde a grande maioria encontra-se fora de serviço”.

O Portal da queixa explica que os problemas estão identificados, mas que não há soluções ou respostas, uma vez que a “taxa de resposta e o índice de satisfação marcam 0%, um valor que reflete a indignação por parte dos consumidores” com a Mobi.e.

O mesmo comunicado diz que a ideia de ter um carro elétrico foi bem acolhida em Portugal. Dados da European Alternative Fuels, uma entidade oficial da Comissão Europeia, revelam que, em Portugal, foram vendidos 1793 veículos elétricos em 2017, mais do dobro dos vendidos em 2016. A mesma fonte diz que só nos dois primeiros meses de 2018, mais de 400 carros elétricos já foram vendidos.

Recomendadas

Saiba como ler as novas faturas de combustível

As faturas de combustível detalhadas mencionam a pegada ecológica significativa do consumo realizado pelo consumidor, discriminando também a carga fiscal existente das obrigações legais.

Deco defende mudanças no acesso à tarifa social após fim da suspensão dos cortes

A associação de defesa do consumidor Deco emitiu hoje um alerta a lembrar que o regime que impede a suspensão dos serviços essenciais termina no final deste mês e a defender mudanças no acesso às tarifas sociais.

Direitos excecionais e temporários relativamente a serviços essenciais acabam a 30 de setembro

Para todas as faturas que estejam em atraso desde 13 de março, o consumidor poderá solicitar um plano de pagamentos em prestações mensais, sem juros, o qual pode iniciar-se apenas no mês de novembro.
Comentários