Casa Eficiente: Financiamento funciona até junho

O programa Casa Eficiente, uma linha de financiamento, deverá estar em funcionamento até ao final do semestre de 2017 com vista a intervenções de melhoria do desempenho ambiental do parque habitacional.

Reis Campos, presidente da CPCI – Confederação Portuguesa da Construção e Imobiliário, promotora do programa, explicou à Lusa, que a linha de financiamento disponibilizará “acesso a empréstimos em condições muito favoráveis” para “obras de melhoria do desempenho ambiental das casas e edifícios maioritariamente habitacionais”.

Ao programa, que aguarda aprovação do Banco Europeu de Investimento (BEI), poderão recorrer todos os proprietários, “independentemente da sua dimensão e localização geográfica”, pelo que fica abrangida a maioria dos particulares, dos condomínios e das empresas, segundo o responsável.

Reis Campos adiantou ainda que o Governo inscreveu no Plano Nacional de Reformas numa primeira fase a meta de envolver 100 mil habitações e 200 milhões de euros, mas é objetivo “massificar o acesso a estes instrumentos de financiamento” para “alargar o âmbito da reabilitação urbana” à generalidade do país e “envolvendo também entidades como pequenos proprietários”.

“Assim, estamos a facilitar o acesso à habitação, a dinamizar o mercado do arrendamento e a contribuir para o cumprimento das metas ambientais a que Portugal está vinculado, ao mesmo tempo que se cria emprego e gera atividade económica, requalificando as nossas cidades e vilas”, salientou Reis Campos.

A CPCI, juntamente com os ministérios envolvidos, definirá e implementará a “orientação estratégica” do programa Casa Eficiente, enquanto com o apoio técnico de entidades como a ADENE (Agência para a Energia), a APA (Agência Portuguesa do Ambiente) ou a EPAL (Empresa Portuguesa das Águas Livres), criará o Portal Casa Eficiente.

Recomendadas

Agricultura de precisão é o caminho de futuro

Sensores de rega gota a gota, utilização de GPS, crescente informatização dos processos produtivos e de logística são as tendências do setor da agricultura em Portugal. Conheça os desafios e os projetos.

Goldman Sachs prevê contração da economia norte-americana em 4,6% este ano

Os economistas do banco reviram em baixa as estimativas para a evolução do PIB dos Estados Unidos. No entanto, melhoraram as previsões para a taxa de desemprego.

CFP afasta cenário de recuperação económica rápida

Em entrevista à ‘Antena 1’ e ‘Jornal de Negócios’, Nazaré da Costa Cabral voltou ainda a falar sobre o Orçamento Suplementar:“Há aqui uma perspetiva de subestimação da queda do produto e de certas das suas componentes que podem comprometer a cobrança de receita fiscal”.
Comentários