PremiumCasa Peixoto espera faturar 47 milhões de euros em 2021

Em entrevista, Luciano Peixoto prevê que a faturação atinja 47 milhões de euros em 2021, revela as aberturas de novas lojas em Portugal e anuncia o reforço da vertente externa em África, em regime de ‘franchising’.

“Nos meses de março e abril de 2020, houve uma quebra com alguma expressão, tanto no segmento de cliente final como no profissional da construção. No entanto, com o primeiro desconfinamento, no segmento de cliente final, foi evidente uma maior preocupação das famílias com o conforto da casa, o que se refletiu positivamente nas vendas nos meses seguintes de 2020. A ‘obrigação’ de todos nós passarmos mais tempo em casa, originou este aumento de procura de materiais de construção, decoração e ‘bricolage’ no período referido.

Quanto ao cliente profissional da construção, houve uma maior estabilidade ao longo do ano. Tirando o primeiro impacto do início da pandemia, onde o sentimento negativo com o futuro foi mais acentuado, as obras foram-se mantendo em andamento”, resume este responsável da Casa Peixoto, com sede em Viana do Castelo.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Bloco analisou documentos confidenciais e defende que EDP tem de pagar imposto de selo sobre venda de barragens

O Bloco pediu ao ministério do Ambiente para analisar 20 documentos confidenciais relativos à venda das barragens no Douro a um consórcio francês liderado pela Engie.

Prolongamento das moratórias? Só se empréstimos forem também objeto de garantia do Estado, diz BCE

A Assembleia da República enviou para Frankfurt o projeto de lei que foi aprovado na especialidade na semana passada e que estabelece a prorrogação e alargamento das moratórias bancárias no contexto da epidemia de Covid-19, até ao fim do ano. O Parlamento queria um parecer do BCE. Após consideração ponderada desse pedido, o supervisor decidiu não emitir um parecer mas faz comentários ao projeto de lei. “As moratórias ocasionam riscos de estabilidade financeira para os bancos quando os fluxos de caixa não recuperam e os mutuários se tornam insolventes”, alerta BCE.

CR7 vs Coca-Cola. Que impacto teve o gesto de Cristiano Ronaldo?

A Coca-Cola perdeu 3,3 mil milhões de euros em capitalização bolsista esta terça-feira e o The Guardian associou essa perda ao gesto de Cristiano Ronaldo. Esta quebra em bolsa de 1,6% levou o valor de mercado da Coca-Cola a diminuir 3,3 mil milhões de euros para 238 mil milhões de euros mas o ajuste da distribuição do dividendo terá sido responsável por esta quebra.
Comentários