Casas mais caras: Taxa de juro para comprar habitação sobe pelo terceiro mês consecutivo

Em fevereiro a taxa de juro registou uma subida de 1,061%, valor que representa um aumento de 0,7% face ao registado no mês anterior. Em relação aos contratos celebrados nos últimos três meses, a taxa de juro subiu dos 1,282% para os 1,423%.

Cristina Bernardo

A taxa de juro no crédito à habitação subiu para os 1,061% em fevereiro, mais 0,7% face aos 1,054 verificados no mês anterior, de acordo com os dados revelados esta terça-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

Em relação aos contratos celebrados nos últimos três meses, a taxa de juro subiu dos 1,282% para os 1,423%. No que diz respeito ao destino do financiamento para a aquisição de habitação, o mais relevante no conjunto do crédito à habitação, a taxa de juro para o total dos contratos subiu 0,8 pontos base (p.b) para os 1,083%.

Nos contratos celebrados nos últimos 3 meses, a taxa de juro para este destino de financiamento subiu 15,8 p.b. em fevereiro, para 1,413%.

Já o valor do capital médio em dívida desceu no mês de fevereiro em 61 euros, fixando-se nos 52.443 euros, enquanto nos contratos celebrados nos últimos três meses, o montante médio do capital em dívida subiu
57 euros para os 98.292 euros.

A prestação média vencida manteve-se pelo terceiro mês consecutivo nos 244 euros. Deste valor, 46 euros (19%) corresponderam a pagamentos de juros e 198 euros (81%) a capital amortizado. Nos contratos celebrados nos últimos três meses, o valor médio da prestação aumentou 17 euros em fevereiro, para os 326 euros.

Recomendadas

Reformados do BCP exigem aumentos das pensões

A moção com esta exigência foi aprovada em reunião em 18 de julho, referindo essa moção que estes reformados que, ao contrário dos outros pensionistas bancários, não vêem as pensões atualizadas desde 2010.

EuroBic também anuncia Verão sem gravata

Mais um banco a aderir à moda de deixar de obrigar ao uso da gravata. Desta vez é o EuroBic, depois do Montepio e do BCP. Lá fora a moda parece ter vindo para ficar.

Millennium BCP recusa proposta de revisão do Acordo Coletivo feita pelos sindicatos bancários

O Banco recusou a proposta dos três sindicatos. Isto é, um aumento de 2,25%, igual ao verificado no setor bancário no mesmo período em que não se verificam aumentos salariais no BCP, desde 2010, para igualarem os trabalhadores aos restantes da banca. As negociações do ACT passam para fase da mediação com a Direção-Geral do Emprego e das Relações de Trabalho.
Comentários