Casas mais caras: Taxa de juro para comprar habitação sobe pelo terceiro mês consecutivo

Em fevereiro a taxa de juro registou uma subida de 1,061%, valor que representa um aumento de 0,7% face ao registado no mês anterior. Em relação aos contratos celebrados nos últimos três meses, a taxa de juro subiu dos 1,282% para os 1,423%.

Cristina Bernardo

A taxa de juro no crédito à habitação subiu para os 1,061% em fevereiro, mais 0,7% face aos 1,054 verificados no mês anterior, de acordo com os dados revelados esta terça-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

Em relação aos contratos celebrados nos últimos três meses, a taxa de juro subiu dos 1,282% para os 1,423%. No que diz respeito ao destino do financiamento para a aquisição de habitação, o mais relevante no conjunto do crédito à habitação, a taxa de juro para o total dos contratos subiu 0,8 pontos base (p.b) para os 1,083%.

Nos contratos celebrados nos últimos 3 meses, a taxa de juro para este destino de financiamento subiu 15,8 p.b. em fevereiro, para 1,413%.

Já o valor do capital médio em dívida desceu no mês de fevereiro em 61 euros, fixando-se nos 52.443 euros, enquanto nos contratos celebrados nos últimos três meses, o montante médio do capital em dívida subiu
57 euros para os 98.292 euros.

A prestação média vencida manteve-se pelo terceiro mês consecutivo nos 244 euros. Deste valor, 46 euros (19%) corresponderam a pagamentos de juros e 198 euros (81%) a capital amortizado. Nos contratos celebrados nos últimos três meses, o valor médio da prestação aumentou 17 euros em fevereiro, para os 326 euros.

Recomendadas

Caixa Geral está a vender Mercedes para atingir metas da recapitalização

Campanha de crédito “imbatível” está a chegar por email a clientes. Banco justifica com metas “extremamente exigentes”. E diz que não está a promover o endividamento, pois clientes acederiam na mesma a outras opções de financiamento do mercado.

PremiumCTT injetam 100 milhões no banco para comprar 321 Crédito

BCE autorizou aquisição porque os CTT garantiram aumento de capital. Na AG, 44% do capital presente, incluindo o maior acionista Champalimaud, recusou menção de louvor à gestão de Lacerda.

PremiumCGD está a vender Mercedes para atingir metas da recapitalização

Campanha de crédito “imbatível” está a chegar por email a clientes. Banco justifica com metas “extremamente exigentes”. E diz que não está a promover o endividamento, pois clientes acederiam na mesma a outras opções de financiamento do mercado.
Comentários