Católica, BPI e Fundação La Caixa criam observatório dos objetivos sustentáveis da ONU nas empresas portuguesas

Filipe Santos, ‘dean’ da Católica-Lisbon, diz que a ideia passa por “monitorizar a implementação da Agenda 2030 das Nações Unidas através do acompanhamento de um grupo representativo de grandes e médias empresas portuguesas e fazer a publicação de um relatório anual”.

Católica — Lisbon School of Business & Economics

A Católica Lisbon School of Business & Economics, em conjunto com o BPI e a Fundação “la Caixa”, lançam esta terça-feira, 21 setembro, o Observatório dos ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas), nas empresas portuguesas.

Em comunicado, o estgabelecimento de ensino sublinha que “este observatório dos ODS é um projeto pioneiro em Portugal e a sua execução será da responsabilidade do Center for Responsible Business & Leadership da Católica Lisbon School of Business & Economics”.

O lançamento oficial deste observatório dos ODS nas empresas portuguesas vai decorrer na cerimónia de abertura da SDG Week, organizada pelo Center for Responsible Business & Leadership às 14h00, no auditório 511 da faculdade.

Segundo Filipe Santos, dean da Católica-Lisbon, “o objetivo deste observatório é o de monitorizar a implementação da Agenda 2030 das Nações Unidas através do acompanhamento de um grupo representativo de grandes e médias empresas portuguesas e fazer a publicação de um relatório anual”.

“Será também responsável pela realização de um fórum de debate e divulgação dos ODS, partilhando boas práticas empresariais e inspirando estratégias mais sustentáveis, potenciando assim o papel fundamental das empresas na criação de um mundo melhor”, referiu, no mesmo comunicado.

Recomendadas

Plano de descarbonização do Reino Unido vai atrair 90 mil milhões em investimento e criar 440 mil empregos

Apesar da boa nova, para os especialistas e ativistas as propostas continuam longe de ser suficientes para fazer frente às necessidades climáticas urgentes e a por um fim nos combustíveis fósseis.

Raros glaciares africanos deverão desaparecer nas próximas duas décadas, alerta ONU

O relatório sobre o estado do clima em África, publicado menos de duas semanas antes da abertura da Conferência das Nações Unidas sobre as Alterações Climáticas (COP 26), agendada para o final do mês em Glasgow, destaca a vulnerabilidade desproporcionada de África e assinala que as alterações climáticas contribuíram para o aumento da insegurança alimentar, pobreza e deslocação no continente durante o ano passado.

Rainha de Inglaterra irritada com muitas opiniões e pouca ação contra alterações climáticas

A Rainha de Inglaterra é a última figura da monarquia britânica a abordar o tema, sendo que os príncipes Carlos e William já tinham falado sobre as problemáticas ambientais.
Comentários