PremiumCatroga: “Espuma mediática ilude e disfarça” responsabilidades na venda do Novo Banco

Polémica sobre venda de ativos do Novo Banco serve para “iludir e disfarçar eventuais responsabilidades” do Governo, BdP e Comissão Europeia, diz Eduardo Catroga. Mas em 2017 talvez não existisse alternativa, admite.

Eduardo Catroga considera positivo o plano apresentado por António Costa Silva para a recuperação da economia, mas alerta que lhe falta um diagnóstico de problemas como a falta de competitividade da economia.

Como vê a polémica em torno da venda de ativos do Novo Banco? Justifica-se o pedido para o Ministério Público investigar estas transações? Ou trata-se simplesmente de o Lone Star utilizar em seu benefício, de forma legal, o enquadramento que foi criado aquando da venda do banco?
Penso que há que utilizar os mecanismos contratuais e legais para garantir a transparência de todo o processo. Logo, as análises técnicas e auditorias podem contribuir para esse desiderato e concluir. Agora vejo muita espuma mediática para iludir a perceção das pessoas e comentadores e provocada por forma a disfarçar eventuais responsabilidades do modelo da decisão tomada pelo Governo e Banco de Portugal e negociada com a Comissão Europeia em outubro de 2017 – então talvez a negociação possível -, mas que os desenvolvimentos posteriores da atual crise do Covid-19 evidenciam consequências negativas face as expectativas vendidas à opinião pública em outubro de 2017.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Linha de apoio a micro e pequenas empresas disponível a partir desta quarta-feira

Para se poderem candidatar, as empresas terão de apresentar uma quebra abrupta e acentuada de pelo menos 40% da sua faturação, e não poderão ter beneficiado das anteriores linhas de crédito com garantia mútua. A SPGM avisa que as empresas em dificuldades não podem ter sede em países ou regiões com regime fiscal mais favorável (‘offshore’)”.

Crédit Agricole convidado para colocar as mais recentes emissões sindicadas de obrigações do tesouro

O Crédit Agrícole emitiu um comunicado onde faz o balanço do seu papel na economia portuguesa, onde está presente através da GNB Seguros com 75%; da Eurofactor e do Banco Credibom. Para além de ter ajudado a colocar dívida do Estado português.

Aumento da margem financeira, dos depósitos e número de contas impulsiona rendimentos do Banco CTT

Apesar do atual estado da economia e dos efeitos da pandemia, o Banco CTT registou um crescimento de 63%, para 38,4 milhões de euros, nos rendimentos do primeiro semestre de 2020. O banco registou 2,9 mil pedidos de moratórias, expondo um total de 66,6 milhões de euros, o que representa “cerca de 7% do total da carteira bruta de crédito” da instituição bancária.
Comentários