CCA associa-se às Nações Unidas na promoção da igualdade de género

A sociedade de advogados é a 25ª empresa em Portugal a assinar o compromisso conhecido como Women’s Empowerment Principles (WEP).

A sociedade de advogados CCA associou-se às Nações Unidas na promoção da igualdade de género no mundo ao assinar o compromisso Women’s Empowerment Principles (WEP), uma iniciativa conjunta do United Nations Global Compact e do United Nations Development Fund for Women para fortalecer o papel das mulheres no local de trabalho e na comunidade.

A CCA – por via do seu centro de conhecimento e inovação, CCA On – foi assim a 25ª empresa em Portugal a assinar o documento internacional, entre 1.200 entidades em todo o mundo.

“É absolutamente essencial criar condições de trabalho para garantir que todos, mulheres e homens, se possam desenvolver e realizar profissionalmente. E o desafio passa não só por manter um equilíbrio entre a percentagem de homens e mulheres que connosco colaboram – o que permite efetivamente retirar o que cada um tem de melhor – mas, e sobretudo, criar condições iguais de formação e de progressão”, defende a sócia do escritório Rita Cruz, presidente do CCA.

Para esta advogada, as “situações em que as mulheres (ou mesmo os homens) têm que optar entre o exercício pleno da sua profissão e a vida pessoal, devem ser absolutamente excecionais”. “É evidente que muitas coisas na sociedade em geral têm que mudar, mas se cada um de nós, se cada empresa der o seu contributo, acredito que poderemos acelerar essa mudança, os hábitos e os preconceitos”, garante.

Ao subscrever o WEP, a CCA compromete-se a ter em conta sete princípios fundamentais:

  • Estabelecer uma liderança corporativa de alto nível para a igualdade de género
  • Tratar todas as mulheres e homens de forma justa no trabalho: respeitar e apoiar os direitos humanos e a não-discriminação
  • Garantir a saúde, segurança e bem-estar de todos os colaboradores, independentemente do género
  • Promover a educação, a capacitação e o desenvolvimento profissional das mulheres
  • Implementar ações na organização, na cadeia de valor e no marketing que promovam o empowerment das mulheres;
  • Promover a igualdade através de iniciativas junto da comunidade;
  • Medir e reportar publicamente o progresso da Organização para alcançar a igualdade de género

Nesta sociedade de advogados, a maioria (66%) da equipa é constituída por mulheres, sendo que 52% se encontram em cargos de gestão e 47% no conselho de administração.

Recomendadas
luís_menezes_leitão_bastonário_ordem_advogados

Advogados elogiam pedido de constitucionalidade da lei que obriga denúncias de evasão fiscal

A Provedora de Justiça pediu ao Tribunal Constitucional a 15 de setembro que fiscalize a lei publicada a 21 de julho de 2020 que transpôs uma diretiva europeia, estabelecendo a obrigação de comunicação à AT a de determinados mecanismos internos ou transfronteiriços com relevância fiscal.

Ordem dos Advogados aprova regra que obriga a mestrado ou doutoramento para entrar na profissão

A proposta do Conselho Geral, liderado pelo bastonário Luís Menezes Leitão, teve esta sexta-feira ‘luz verde’ e segue para a Assembleia da República para o veredito final.

Inovação e talento na advocacia em debate

Gestão da inovação e identificação e retenção de talento são dois desafios que a advocacia terá de enfrentar pós-pandemia. Aresposta é essencial para o desenvolvimento da atividade.
Comentários