CDS-PP: “Governo foi incapaz de se preparar”

“Hoje tomamos uma decisão sem que o Governo tivesse a seriedade de partilhar com o Governo o que vai fazer”, acrescentou Telmo Correia no seu discurso, dizendo que o Executivo deveria partilhar primeiro as medidas e só depois o decreto.

Cristina Bernardo

O CDS-PP diz que o Governo foi “incapaz de se preparar” para a segunda vaga da Covid-19 e que “falhou redondamente” nas medidas apresentadas nos últimos tempos, tendo o Governo perdido seis meses de preparação no combate à pandemia.

O deputado Telmo Correia acusou o Governo de António Costa de adotar “medidas confusas e impercetíveis”, tendo gerado ainda prejuízos económicos para a sociedade, e de pedir ainda um cheque em branco ao Parlamento, uma vez que não partilhou previamente com os deputados as medidas que vai adotar durante o estado de emergência.

“Hoje tomamos uma decisão sem que o Governo tivesse a seriedade de partilhar com o Governo o que vai fazer”, acrescentou Telmo Correia no seu discurso, dizendo que o Executivo deveria partilhar primeiro as medidas e só depois o decreto que deu entrada na Assembleia da República.

“Em Portugal o negacionismo é de esquerda e o congresso do PCP é um bom exemplo”, apontou Telmo Correia. “Uns têm de ficar em casa ou fechar os seus estabelecimentos, outros podem reunir-se às centenas no fim-de-semana mais crítico da pandemia. Porquê? Porque são do PCP e o PS precisa cada vez mais deles até para aprovar o Orçamento do Estado”, referiu o deputado, sustentando que o partido tem “o apoio incondicional do maior partido da oposição”.

Com a apresentação de dois pesos para uma única medida, o CDS afirmou que o Governo está atualmente a “perder o pé” e pediu mais transparência e apoios para quem tem sofrido gravemente com a pandemia.

Relacionadas

Iniciativa Liberal acusa Governo de “incompetência” e de “destruir” setor da restauração

O deputado da IL acusa o Governo de “incompetência” na gestão da pandemia e de ser responsável pela “tragédia” em que se transformou a vida de milhares de empresas, nomeadamente as do setor da restauração que assistiram a uma quebra de 50%.
joacine_katar_moreira_livre

Joacine Katar-Moreira apela a que a renovação do estado de emergência “chame à razão” as instituições privadas no comabte à pandemia

“Um estado de emergência que não sirva só para a requisição de indivíduos, mas que vá mais longe e faça aquilo que está a resistir que é fazer requisição das instituições”, disse a deputada não-inscrita, durante o debate que decide a renovação do estado de emergência por mais quinze dias.

“Não é um estado de emergência, é um estado de engano aos portugueses”, afirma André Ventura

“Já sabíamos que tínhamos tido uma grotesca falta de preparação para esta segunda vaga de Covid”, assumiu o deputado, apontando o dedo a António Costa, uma vez que o primeiro-ministro “anunciou que iria haver uma segunda vaga mas não fez nada para o travar”.

Parlamento aprova renovação do estado de emergência até 8 de dezembro

A renovação do estado de emergência foi aprovada com os votos favoráveis de PS e PSD. O PCP, ‘Os Verdes’, o Chega, o Iniciativa Liberal e a deputada não-inscrita Joacine Katar-Moreira votaram contra. BE, CDS-PP e PAN abstiveram-se.
Recomendadas

Covid-19: Portugal comprou doses de vacinas suficientes para mais de 18 milhões de pessoas

Portugal já adquiriu 31 milhões de doses de vacinas para inocular os cidadãos contra o novo coronavírus. Ministério da Saúde explica que as 800 mil doses adicionais da vacina da Moderna não foram compradas porque seriam entregues apenas no final do ano.

Oficial. Escolas fechadas a partir de amanhã durante 15 dias

Depois de Portugal ter vindo a bater sucessivamente recordes diários de novos casos e mortes, o Governo decidiu encerrar as escolas a partir de sexta-feira, 22 de janeiro.

Governo reforça confinamento. Assista em direto ao anúncio de António Costa

O Governo reuniu-se em Conselho de Ministros esta quinta-feira de manhã e anuncia agora a decisão de reforço do confinamento, que deverá abranger o fecho das escolas.
Comentários