CDS-PP Madeira critica Governo de Costa por ignorar pedidos das regiões autónomas

A comissão política do CDS-PP Madeira pede ao Estado e aos seus mais altos representantes que respeitem os direitos das autonomias, sublinhando que o Estado Português “não pode negar à região aquilo que pede à União Europeia”.

A comissão política do CDS-PP Madeira condenou o Governo Central, dirigido por António Costa, por ignorar os pedidos por parte da Madeira e dos Açores, acrescentando que o executivo se posiciona face Às autonomias da mesma maneira que alguns países do norte da Europa se posicionam em relação ao sul. Os centristas criticam a postura de Marcelo Rebelo de Sousa, presidente da República, e diz que a seu devido tempo os madeirenses vão tirar todas as ilações.

Os centristas referem que não vão desistir do seu compromisso com os madeirenses, e que vai lutar em coordenação com o grupo parlamentar do partido na Assembleia da República e com Direção Nacional do CDS-PP “para que os direitos dos nossos concidadãos sejam respeitados na íntegra”.

O partido diz que não vai desistir enquanto o Estado e os seus mais altos representantes “não respeitarem os direitos das autonomias”, sublinhando que o Estado Português “não pode negar à região aquilo que pede à União Europeia”.

A comissão política louvou o Governo Regional o trabalho que realizou na contenção da pandemia do coronavírus covid-19, e pela competência e determinação na salvaguarda da vida e saúde da população, bem como a capacidade demonstrada pelo Governo Regional na resposta aos pedidos de ajuda de todos os sectores da sociedade madeirense.

“Sabemos que o caminho será longo e difícil, mas só com trabalho, sem demagogia e sem tentativas de aproveitamento político que só desqualificam quem as faz, será possível inverter a situação de crise que ameaça a economia global e, por consequência, a Madeira. Este é tempo de união em volta de objetivos que ultrapassam os partidos e as querelas partidárias. É o tempo de salvaguardar a saúde e a vida dos nossos concidadãos, bem como de relançar a economia, garantindo emprego e rendimentos de toda uma sociedade”, diz o CDS-PP.

Foi ainda destaca a “forma empenhada e arrojada” como Rui Barreto, secretário Regional da Economia, e Teófilo Cunha, secretário regional do Mar e Pescas, que fazem parte do CDS-PP, como enfrentaram os desafios colocados pela pandemia, e como souberam num “curtíssimo espaço de tempo, soluções de apoio quer às empresas, quer ao setor das pescas”, acrescentando que numa segunda fase vão “descobrir os caminhos que levarão ao relançamento da economia e à manutenção dos postos de trabalho”.

O CDS-PP logo que sejam levantadas as restrições impostas devido ao coronavírus vai fazer uma ronda por todos as freguesias, ouvindo dirigentes, militantes, e população, com vista a preparar as autárquicas.

Ler mais
Recomendadas

Saiba como funciona o regime temporário e excecional relativo aos contratos de seguro

Esta medida prevê a suspensão do regime da imperatividade absoluta aplicada aos prémios de seguros, ou seja, da obrigatoriedade de prévio pagamento do prémio para que o risco seja coberto, permitindo que o segurado (tomador do seguro) não fique sem cobertura do risco quando não paga o seguro (imperatividade relativa).

Presidente do Marítimo discorda do desfecho diferente entre I e II Liga

O dirigente ‘verde rubro’ acrescentou que o apoio que as equipas da II Liga receberam condicionou a posição desses mesmos clubes nesta contestação.

Madeira: PS defende Orçamento Suplementar focado no apoio às empresas e emprego

O Ps Madeira defende medidas como a suspensão da lei de finanças regionais de modo a permitir mais endividamento, a extensão do lay-off, apoio extraordinário ao setor do Turismo.
Comentários