CDS-PP Madeira exige reforço de 700 mil euros para promoção do destino turístico

O deputado Rui Barreto lamentou que o executivo madeirense não tenha sido pró-activo de forma a atenuar as consequências da falência de várias companhias aéreas.

O vice-presidente do CDS-PP Madeira, Rui Barreto, apelou ao Governo Regional para reforçar em 700 mil euros as verbas para a promoção do destino turístico da Região Autónoma de forma a esbater as quebras que têm existido nos mercados alemão e inglês.

Rui Barreto lamentou que o executivo não tenha sido pró-activo de forma a atenuar o impacto do processo de falência de companhias como a Air Berlin e a Monarch.

“A falência de três companhias tem levado a um decréscimo muito acentuado na venda de turistas”, diz o centrista. “Em vez do governo reforçar reduz as verbas para a promoção”, denuncia.

O centrista referiu que o CDS-PP Madeira na discussão do orçamento pediu ao Governo Regional para reforçar as verbas de promoção do destino turístico acrescentando que o PSD reprovou essa medida.

Rui Barreto apelou ao reforço “urgente”das verbas para a promoção do destino Madeira.

“O governo está a ser reactivo”, acusa o centrista. Rui Barreto manifestou a sua incompreensão relativa a este não reforço de verbas tendo em conta que o turismo é um sector que “gera retorno imediato na ordem dos 400 milhões de euros quando o investimento é de 15 milhões de euros”.

“Não podemos baixar os braços nem correr atrás do prejuízo”, realça.

Ler mais
Recomendadas

Da CMVM à SDM: saiba quais as entidades que vão ser ouvidas sobre a Zona Franca

A Comissão de Orçamento e Finanças aprovou também a pronúncia da associação Transparência e Integridade e o Governo da Madeira.

Assembleia da Madeira dá 15 dias a parceiros sociais para se pronunciarem sobre descongelamento das carreiras de técnicos de diagnóstico e terapêutica

A comissão de Saúde e Assuntos Sociais aprovou ainda a subida a plenário de um Projeto de Resolução, do PCP, sobre a promoção da saúde mental em contexto covid-19, e aprovou a redação final da resolução sobre a inclusão das Novas Substâncias Psicoativas na Lei de Combate à Droga.

Presidente da SDM confirma que desde janeiro não se podem registar novas empresas na Zona Franca

O presidente da SDM, confirmou o que tinha sido avançado pelo Jornal Económico/Económico Madeira, tendo aproveitado para criticar o Governo da República por “não ter feito o trabalho de casa”, e acusou o executivo nacional de ter apresentado um Estatuto dos Benefícios Fiscais que poderia ter dado uma “machada final” na Zona Franca.
Comentários