Cenário de corte das taxas de juro do BCE faz BCP tombar mais de 5%

A entidade bancária está a desvalorizar 5,43%, para 0,23 euros, apesar de na segunda-feira ter apresentado uma subida homóloga de 13% no lucro dos primeiros seis meses deste ano para 169,8 milhões de euros.

As acções do Millennium BCP estão a cair 5,2% para 0,23 euros, na manhã desta terça-feira devido a uma forte possibilidade do Banco Central Europeu (BCE) avançar com cortes nas taxas de juro, uma vontade partilhada pelo Banco do Japão (BoJ) e da Reserva Federal dos Estados Unidos (Fed), conforme apontam vários traders contactados pela Reuters.

O Banco do Japão voltou a demonstrar rapidez para dar gás à economia através de cortes nas taxas de juro diretoras, estando apenas a aguardar pela decisão da Fed, que se reúne durante os dias 30 e 31 de julho.

O BCP apresentou na segunda-feira os resultados dos primeiros seis meses de 2019, onde registou uma subida homóloga de 13% no lucro, para 169,8 milhões de euros, mas a forte pressão para os cortes nas taxas de juro está a sobrepor-se e a arrastar as suas ações, tendo já sido negociadas 25.452.520 acções até ao momento.

“No BCP, os lucros aumentaram 13%, neste semestre e o número de clientes continua a aumentar, tanto em Portugal como na Polónia”, referiu Carla Maia, trader da XTB, salientando que “a margem do Banco está ’em xeque’ com a possibilidade do BCE avançar com medidas de cortes nas taxas de juro”.

A margem financeira (diferença entre os juros cobrados nos empréstimos e pagos nos depósitos) do Millennium bcp subiu 7,6% para 740,1 milhões de euros entre janeiro e junho. Desde a última reunião da Reserva Federal norte-americana, nos dias 18 e 19 de julho, nas quais ganhou maior força os cortes nas taxas de juro a curto-prazo, as acções do Millennium bcp caíram quase 17%.

Relacionadas

Tombo superior a 2,5% do BCP penaliza PSI 20

O principal índice bolsista português (PSI 20) perde 0,27%, para 5.121,21 pontos.

Lucro do BCP sobe 13% para 170 milhões no primeiro semestre

Em comunicado divulgado no site da CMVM, o BCP explicou a lucro foi “impulsionado pela expansão dos proveitos ‘core’ e pela redução das imparidades e provisões”. O banco ganhou 55 milhões com a venda de dívida pública portuguesa.

BCP na Polónia com lucros de 77,9 milhões afetados pelo Eurobank

Os lucros do Millennium Bank, detido pelo BCP a 50,1%, fecharam abaixo do registado no ano passado, o motivo é a integração do recém comprado Eurobank que só deverá ter um reflexo positivo nas contas do grupo a partir de 2020, já considerando os custos de integração.
Recomendadas

Bolsa de Lisboa fecha em queda apesar da subida das papeleiras

A pressionar o mercado estiveram, entre outras, as ações do BCP, da NOS e da Jerónimo Martins. Na Europa o verde dominou os mercados ajudados pelos novos inputs sobre a guerra comercial, que sinalizam uma aproximação entre os EUA e a China para fecharem o acordo de “fase um”.

Exclusivo: Farfetch com ‘breakeven’ em 2021 é “cenário perfeitamente realista”, diz José Neves

Em entrevista ao JE, o CEO diz que a empresa ainda não tem ‘guidance’ oficial, mas vê como correta a estimativa dos analistas sobre o ‘breakeven’ ao nível do EBITDA daqui a dois anos. A melhoria da margem no terceiro trimestre mostra o caminho a seguir, diz, mostrando confiança numa subida das ações. Cotação do título dispara 33% na abertura em Wall Street.

Bolsa de Nova Iorque abre em alta. Farfetch dispara 30% após divulgar resultados

A empresa de ‘e-commerce’, liderada pelo português José Neves, viu o seu prejuízo aumentar 10,6% face ao período homólogo, para 86,5 milhões de dólares, mas teve um disparo de 90% nas receitas (255,5 milhões de dólares).
Comentários