Centro de Química da Madeira produz 2 mil 750 litros de solução alcoólica desinfetante para a RAM

A pronta resposta do CQM a uma necessidade urgente da Região permitiu ao SESARAM reforçar as suas reservas em solução alcoólica desinfetante e garantiu aos seus utentes e profissionais de saúde, toda a segurança na linha da frente no combate ao Covid-19.

O Centro de Química da Madeira (CQM), no atual contexto pandémico da Covid-19, colocou a sua capacidade instalada para, em estreita colaboração com o IA-SAUDE (Instituto de Administração da Saúde e Assuntos Sociais) e com o SESARAM (Serviço Regional de Saúde) e com o apoio do Departamento de Química da Universidade da Madeira (UMa), ao abrigo do Projeto COVID19/UMa/Santander, produzir solução alcoólica desinfetante, chegando a um total de 2 mil 750 litros.

No passado sábado, 9 de abril, o CQM lançou um desafio aos seus membros para a aquisição de reagentes para a preparação dos primeiros mil litros de solução desinfetante. Objetivo esse conseguido ao fim de apenas cinco horas de campanha interna.

Esta quinta-feira uma equipa de nove pessoas otimizou processos, implementou procedimentos de controlo de qualidade e segurança, e instalou duas linhas de produção manual para o fabrico de solução desinfetante.

Esta campanha de produção, que termina hoje, produziu 2 mil 750 litros de solução desinfetante, tendo gasto no seu fabrico 2 mil 298 litros de álcool, 116 litros de água oxigenada, 40 litros de Glicerina e 343 litros de água purificada.

A pronta resposta do CQM a uma necessidade urgente da Região permitiu ao SESARAM reforçar as suas reservas em solução alcoólica desinfetante e garantiu aos seus utentes e profissionais de saúde, toda a segurança na linha da frente no combate ao Covid-19.

Recomendadas

Deco mostra dúvidas sobre preços praticados nas teleconsultas

Relativamente às consultas do setor privado, a DECO tem registado algumas dúvidas sobre os preços praticados. A principal relaciona-se com a justiça de uma consulta por videochamada apresentar o mesmo custo económico para o utente. Essa é uma questão que deve ser respondida com urgência.

Madeira: eurodeputada do PS quer abordagem transversal na saúde

A eurodeputada Sara Cerdas defendeu que a ausência de políticas para a saúde e bem-estar tem gerado “graves consequências” para todos os cidadãos e para os sistemas de saúde dos Estados Membros, e pediu “uma maior aposta” na saúde em todas as políticas, que inclua uma visão mais abrangente dos desafios, não só os relacionados com a pandemia, mas que seja transversal a outros setores.

JPP quer trabalhadores da economia informal incluídos nos apoios do Fundo de Emergência Social

O partido diz que no casos dos trabalhadores que não se encontravam enquadrados nos sistema de Segurança Social, estes foram “duplamente penalizados” porque não têm forma de provar perda de rendimentos devido à pandemia, pelo que não elegíeis para vários tipos de apoios, entre os quais o Fundo de Emergência Social.
Comentários