Cerca de 95% das empresas reconhece que projetos inovadores falham antes de serem lançados

Um estudo da Kaspersky, a empresa russa de cibersegurança, tentou identificar as principais dificuldades no êxito de projetos inovadores a nível global, sendo que a falta de planeamento e de preocupações com a segurança informática são os dois principais pontos referidos.

Cerca de 95% das empresas a nível mundial reconhecem que, muitas vezes, os seus projetos de inovação falham ainda antes de serem lançados, com uma grande parte a nem passar da fase de desenvolvimento, segundo um estudo da Kaspersky.

Um inquérito da empresa de cibersegurança a 304 decisores sénior da área de inovação mostra que a esmagadora maioria dos projetos não chega à fase de lançamento, sendo que 36% nem passa da fase de desenvolvimento.

O estudo aponta ainda para a falta de cooperação entre os departamentos de segurança informática como uma ameaça ao lançamento de qualquer projeto, com 74% dos inquiridos a indicar que a ausência de um responsável por esta vertente aumenta a probabilidade de fracasso. A falta de planeamento e estrutura bem definidos é, para 19%, a principal causa dos falhanços.

Adicionalmente, 36% das empresas participantes considera ainda a fase de desenvolvimento como a mais desafiante ao longo do ciclo de vida de inovação. Para 23%, a maior dificuldade reside na fase desenho, sendo que outros tantos indicam a fase de teste como a mais crítica.

Recomendadas

Assembly organiza duas semanas de ‘bootcamps’ tecnológicos para crianças

Os alunos vão poder programar robôs para jogar futebol, criar jogos em 3D e aprender mais sobre os mods em Minecraft.

Pfizer dá 15 mil euros ao melhor projeto tecnológico sobre vacinação

A farmacêutica norte-americana quer que o público tenha «mais conhecimento sobre doenças que podem ser prevenidas por vacinas» e sobre a importância deste ato médico, ao «longo da vida».

Governo e Microsoft firmam parceria. Empresa vai contratar 300 pessoas, formar funcionários públicos e investir até 1 milhão de euros em startups

A tecnológica de origem norte-americana e o Governo assinaram esta sexta-feira um memorando de entendimento. Assente nos pilares estratégicos “pessoas, empresas e Estado digital”, a parceria prevê várias iniciativas da Microsoft até 2022 para reforçar e acelerar a transformação digital do país.
Comentários