PremiumCereja do Fundão: Este fruto gera 20 milhões de euros por ano

O presidente da Câmara Municipal do Fundão, Paulo Fernandes, sublinha, em entrevista exclusiva ao Jornal Económico, que, nas últimas décadas se tem assistido a um aumento expressivo da área e da produção da cereja da região, acompanhado por uma progressiva profissionalização do sector. O autarca revela que no PDR2020 foram aprovados 2.840 projetos com investimentos na plantação de cerejeiras ou ligados a esta espécie com um valor elegível de mais de 15 milhões de euros e um apoio público de perto e 7,5 milhões de euros.

Todos os anos a economia da cereja do Fundão movimenta cerca de 20 milhões de euros para a economia local e, portanto, para o conjunto nacional. Quase no final de mais uma campanha promocional deste fruto estival, Paulo Fernandes, presidente da Câmara Municipal do Fundão, explica que os cerejais no concelho do Fundão abrangem cerca de 2.500 hectares e que no PDR 2020 – Plano de Desenvolimento Regional foram aprovados 2.840 projetos com investimentos na plantação de cerejeiras na região e/ou investimentos diretamente ligados a esta espécie frutícola.

Qual a importância da cultura da cereja para o Município do Fundão e para a região da Beira Interior – qual a sua evolução ao longo dos últimos anos em termos de número de explorações agrícolas, área cultivada, valores de produção, investimentos efetuados, fundos comunitários concedidos, valores de exportação e para que mercados?
O concelho do Fundão tem mais de 700 quilómetros quadrados e caracteriza-se pela dispersão geográfica, em que contrastam zonas marcadamente urbanas, como é o caso da cidade do Fundão, cuja principal atividade económica é o comércio, a indústria e as novas tecnologias, com zonas rurais, vocacionadas para as explorações agrícola, pastorícia e florestal, para a produção de fruta, azeite e vinho.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

PremiumAnne Hidalgo: mais uma espanhola interessada no trono de França

Não é a primeira espanhola de nascimento que tenta chegar longe na chauvinista política caseira gaulesa – o ex-primeiro-ministro Manuel Vals, um catalão, faz disso prova viva sem ter de se ir aos compêndios de História Medieval – mas a atual ‘maire’ de Paris propõe-se não só chegar à Presidência da República francesa, como, antes disso, produzir o verdadeiro milagre de fazer renascer o Partido Socialista francês das cinzas onde o ex-Presidente François Hollande o deixou vai para quatro anos.

PremiumMarcantonio del Carlo: “Esta é uma profissão em que é preciso suar, chorar, mas também ter sorte”

O italiano, de 55 anos, radicado em Portugal desde os 15, está em digressão com a peça “Amado Monstro”, na qual, além de intérprete, é o responsável pela adaptação para português. Integra ainda o elenco do remake de “O Pai Tirano”, que estreia este ano e será também uma minissérie na SIC, em 2022. Mas é como argumentista que mais se “realiza na totalidade enquanto artista”. É nesse papel que define assim: “Só sou eu, ideias, histórias e um teclado de computador. Tudo depende só de mim até chegar a um palco ou a um plateau.”

Primeiro single do novo álbum de Rod Stwart já está disponível

Neste álbum, “The Tears Of Hercules”, voltou a trabalhar com Kevin Savigar, o teclista e vocalista que co-produziu os seus três últimos álbuns de estúdio: “Time” (2013), “Another Country” (2015) e “Blood Red Roses” (2018).
Comentários