CGD: Particulares e empresas pagam menos 140 milhões em comissões e juros este ano face a 2016

Entre janeiro e setembro deste ano, as receitas com as comissões na a particulares na atividade doméstica ascenderam a 307 milhões de euros, um aumento de 1,4% face a igual período do ano passado. “É isto que está nas contas”, vincou Paulo Macedo. “De tudo isto que vem sucessivamente dito contra a Caixa, o que aconteceu foi um aumento de 1,4%”.

Cristina Bernardo

O aumento das comissões da Caixa Geral de Depósitos (CGD) foi um dos temas quentes da conferência de imprensa que se seguiu à apresentação dos resultados trimestrais do banco do Estado, esta quinta-feira. O CEO do banco púbico, Paulo Macedo, explicou que, apesar de um ligeiro aumento homólogo das comissões nos nove primeiros meses de 2019, os clientes particulares da CGD pouparam vários milhões de euros em 2019 por comparação com aquilo que pagavam em 2016, aquando da recapitalização do banco.

Entre janeiro e setembro deste ano, as receitas com as comissões na a particulares na atividade doméstica ascenderam a 307 milhões de euros, um aumento de 1,4% face a igual período do ano passado. “É isto que está nas contas”, vincou Paulo Macedo. “De tudo isto que vem sucessivamente dito contra a Caixa, o que aconteceu foi um aumento de 1,4%”.

O CEO explicou depois como os particulares e as empresas pouparam cerca mais de 140 milhões entre juros e comissões este ano face a 2016.

Entre os dois anos, na concessão de crédito, “os particulares têm uma diferença de 40 milhões nos juros e mais de 5,5 milhões de euros em comissões”, disse o CEO do banco do Estado. “Portanto, as famílias pagam menos 45,5 milhões de euros à Caixa”, reforçou Paulo Macedo.

Nas empresas, a situação também se verificou. As empresas pagam “menos 85 milhões em juros e menos de 10 milhões de euros em comissões”, explicou Paulo Macedo, uma poupança de 95 milhões de euros. “Portanto uma transferência do acionista Estado, que é o dono da Caixa Geral de Depósitos, para as empresas de cerca de 100 milhões de euros entre o inicio do plano reestruturação e agora”, salientou o CEO da Caixa.

“Isto quer dizer que, para quem está a gerir empresas ou a pagar uma prestação de casa, nunca houve custos tão baixos para a Caixa e isto não será tão diferente para as outras entidades”, rematou Paulo Macedo.

Ler mais
Relacionadas

Paulo Macedo admite remuneração de 250 milhões ao Estado em 2020

A CGD diz que o BCE tem de não se opor aos dividendos que forem decididos em Assembleia Geral.

Lucros da CGD atingem os 641 milhões de euros até setembro

O banco do Estado, liderado por Paulo Macedo, explicou que o resultado líquido corrente foi de 481,4 milhões de euros, uma subida homóloga de 30%.
Recomendadas

Novo Banco confirma que a venda carteira de malparado Nata II foi autorizada pelo Fundo de Resolução

O banco confirma assim a notícia avançada hoje pelo Jornal Económico. O Novo Banco já registou nas contas a venda da carteira de malparado ao fundo Davidson Kempner.

PremiumFundo de Resolução autoriza venda do Nata II

Novo Banco já registou nas contas a venda da carteira de malparado ao fundo Davidson Kempner.

Regras da EBA sobre divulgação de malparado para bancos pequenos entram em vigor a 31 de dezembro

“O Conselho de Administração do Banco de Portugal aprovou a Instrução n.º 20/2019 que introduz no quadro normativo nacional as Orientações da Autoridade Bancária Europeia (EBA) sobre a divulgação de exposições não produtivas e exposições reestruturadas por parte das instituições de crédito menos significativas”, anuncia o supervisor bancário nacional.
Comentários