Chega é oficialmente membro da família europeia de extrema-direita

Partido de André Ventura oficializou a sua ligação à família europeia de Le Pen, Salvini e Wilders, o Identidade e Democracia.

O Chega oficializou a sua ligação à família europeia de extrema-direita, o Identidade e Democracia (ID), que conta com partidos em vários países da União Europeia, como a Frente Nacional em França, a Alternativa para a Alemanha (AfD), a Liga do Norte italiana ou o Partido para a Liberdade holandês (VVD).

A adesão do partido português foi oficializada esta quarta-feira, 1 de Julho, mas o convite foi feito a 10 de Junho. André Ventura, líder do Chega, confirmou à Sábado a união, dizendo ser “uma honra fazer política ao lado de grandes políticos como Matteo Salvini” e manifestou “um enorme orgulho que, em tão pouco tempo, o Chega seja já considerado como muito apelativo para os grupos políticos europeus”.

Segundo adianta a mesma publicação, o presidente do ID, Gerolf Annemans, mostrou-se “confiante que a amizade entre o Chega e os membros do partido ID vai continuar a fortalecer ao longo dos anos”, isto numa carta endereçada a Ventura.

O ID é o quarto maior dos oito grupos que constituem o Parlamento Europeu. É composto por 76 eurodeputados de 10 países, todos eles membros de partidos de carácter nacionalista, eurocéptico, populista e anti-imigração.

Recomendadas

João Ferreira: “Marcelo sujeitou os jovens a uma vulnerabilidade acrescida”

Nos últimos anos, a ação de Marcelo sujeitou os jovens a uma vulnerabilidade acrescida, por exemplo alargando o período experimental. Os Governos não têm governado de acordo com a Constituição”, considerou o atual eurodeputado em entrevista à TVI.
ana_catarina_mendes_ps

PS propõe “medidas de estímulo positivas” para travar desequilibro de género agravado pela Covid-19

O grupo parlamentar socialista considera que é preciso promovam o equilíbrio de género no recurso ao teletrabalho e atrair mulheres para os setores do digital e da energia, para que “não ficarem para trás no processo de transição digital e verde”.

Tempo está esgotar-se para um Brexit com acordo, alertam Reino Unido e Bruxelas

Boris Johnson, primeiro-ministro britânico, afirmou que chegar a um acordo seria “preferível”, mas avisa que o Reino Unido prosperaria na mesma caso não fosse alcançado.
Comentários