Chega quer expulsar autor de moção pela remoção de ovários a mulheres

A direção do Chega vai propor a “suspensão imediata” do militante Rui Roque que defendia a extração dos ovários numa moção de estratégia que foi rejeitada em congresso, informou hoje o partido.

Mais de uma semana após o congresso em que a moção foi chumbada, a direção do partido anunciou que vai “reunir, na quinta-feira, com o propósito de proceder à imediata suspensão do militante Rui Roque”, autor da moção ‘Estratégia Global – Portugal’ em que se defendia, entre “outras coisas” que fossem “retirados os ovários” às “mulheres que interrompessem voluntariamente a gravidez”.

“Esta proposta ataca de forma ostensiva, não só o bom nome do partido e os seus princípios e valores, como também todas as mulheres do país na sua dignidade e direitos, tal como prevê a lei em vigor”, lê-se no comunicado hoje divulgado.

André Ventura, presidente e deputado único do Chega, ainda segundo o texto, “irá propor a imediata suspensão do militante com vista à sua consequente expulsão”, não esclarecendo se o fará ao órgão de jurisdição do partido.

E concluiu que “comportamentos desta natureza não serão admitidos” no partido, que “defende a dignidade da pessoa humana e os valores de um Estado de Direito Democrático”.

A II convenção do Chega realizou-se em Évora em 19 e 20 de julho, onde a direção de Ventura foi eleita à terceira tentativa.

Relacionadas

Chega distancia-se de “proposta absurda” de congressista para “remoção dos ovários” de mulheres que tenham abortado

Direção nacional do partido realça que a moção de Rui Roque, um delegado à convenção nacional que é ex-militante do PNR, foi reprovada pela esmagadora maioria dos congressistas presentes em Évora. E garante que nunca será materializada no programa político do Chega.
Recomendadas
Cristina Rodrigues

OE2021: Deputada não inscrita Cristina Rodrigues abstém-se e garante viabilização na generalidade

O debate do Orçamento do Estado para 2021 está agendado para terça-feira e quarta-feira no parlamento, sendo votado, na generalidade, no último dia.

PSD questiona Governo sobre atrasos na campanha de vacinação contra a gripe

Os social-democratas alertam que as vacinas adquiridas pelo Governo são “suficientes para vacinar todas as pessoas que o queiram fazer” e sublinham que esta é uma realidade ainda mais “preocupante”, tendo em conta a pandemia da Covid-19.
Susana Coroado, presidente da Transparência e Integridade

Susana Coroado: “Não se compreende como foi aprovada a ida de Mário Centeno para o Banco de Portugal”

Presidente da Transparência e Integridade considera que a classe política ainda não presta atenção aos conflitos de interesses e aos casos de corrupção. Gostaria de ver as alterações ao Código dos Contratos Públicos vetadas e admite que chegue o dia em que a sua associação se tornará desnecessária. “Deixar de existir seria a nossa grande vitória”, diz.
Comentários