China aprova potencial vacina contra a Covid-19 para uso militar

A Cansino Biologics defende que os resultados dos ensaios clínicos, até ao momento, mostravam que a vacina tinha um “bom perfil de segurança” e potencial para prevenir doenças causadas pelo novo coronavírus.

A China aprovou, esta segunda-feira, a utilização, no contexto do exército, de uma nova vacina contra a covid-19 desenvolvida pelo Instituto Científico Militar e pela empresa biofarmacêutica CanSino Biologics, segundo anunciado esta segunda-feira pela empresa.

De acordo com a notícia avançada pelo “The Guardian”, a empresa referiu que a vacina foi aprovada pelo exército a 25 de junho para “utilização pelos militares”. Até aprovação contrária, a vacina só poderá mesmo ser usada em militares, sublinham as autoridades.

Segundo o jornal britânico, esta é uma das 17 vacinas identificadas pela Organização Mundial de Saúde que se encontram em avaliação clínica e que envolvem empresas chinesas ou instituições, dando assim liderança aos oficiais de saúde deste país na corrida para o desenvolvimento da cura da Covid-19.

A Cansino Biologics defende que os resultados, até ao momento, dos ensaios clínicos mostravam que a vacina tinha um “bom perfil de segurança” e potencial para prevenir doenças causadas pelo novo coronavírus. Porém, referiu não ter garantias de que a vacina – que teve os seus ensaios clínicos de fase um e dois realizados na China – acabe por ser comercializada.

De acordo com a revista médica “Lancet”, já houve mais de mil ensaios clínicos em dezenas de tratamentos farmacêuticos para o vírus, mas nenhuma intervenção médica totalmente eficaz foi encontrada.

Recomendadas

EDP: Despacho de juiz alude a troca de favores entre Mexia e Manuel Pinho

Segundo o MP, foi também acordado, que da parte do ministro haveria a concessão de benefícios indevidos à EDP, através do exercício das suas funções públicas, tendo como contrapartida o apoio da EDP à sua carreira profissional e académica quando saísse do Governo.

OMS admite transmissão do vírus pelo ar e pede que se evitem espaços fechados

Um grupo de mais de 200 cientistas já tinha alertado para essa possibilidade, uma carta aberta dirigida à Organização Mundial de Saúde.

EDP interveio em avaliações do Credit Suisse e Caixa BI às barragens, diz Tribunal

O Tribunal apontou para provas que indiciam que o Crédit Suisse entregou a Rui Cartaxo um “‘memorandum’ relativo à avaliação da extensão do domínio hídrico, o qual foi apreendido nas buscas à sede da EDP” e que isso alegadamente demonstra que foi a elétrica que “orientou o Crédit Suisse na avaliação do domínio hídrico”.
Comentários