China exige retificação aos operadores de redes móveis para acabar com “caos” na Internet

As oito empresas afetadas são a Huawei, Oppo, Vivo, Xiaomi, Sogou, 360, QQ e UC.

A Administração do Ciberespaço da China exigiu hoje aos fornecedores de serviços móveis do país que executem uma série de “retificações especiais e centralizadas”, face a “preocupações sociais” perante o “caos” na Internet.

As oito empresas afetadas são a Huawei, Oppo, Vivo, Xiaomi, Sogou, 360, QQ e UC. Estas terão até ao próximo dia 9 de novembro para “fazer uma revisão e retificação” dos seus serviços, visando controlar a disseminação de “rumores, sensacionalismo ou publicação de informações negativas que violem os valores fundamentais do socialismo”.

Os requisitos incluem a “proibição de informações em contas pessoais de redes sociais que violem as normas, além de exageros, insultos ou referências a temas delicados”, a fim de “evitar problemas que alterem a ordem da comunicação na Internet”.

As empresas devem enviar ao regulador uma lista detalhada das retificações e aguardar a aprovação pelas autoridades competentes.

Após este processo de retificação, o regulador chinês do ciberespaço afirmou que “assumirá firme responsabilidade” por “navegadores móveis que continuem a apresentar problemas pendentes”.

A China tem um dos sistemas de censura da Internet mais restritivos do mundo, não apenas para vetar o acesso a um grande número de aplicativos, programas ou portais estrangeiros, mas também para monitorar sistematicamente o conteúdo na sua própria rede.

Ler mais
Recomendadas

Covid-19: França registou 313 mortes num dia

O número de novos casos diários no país foi de 14.064 nas últimas 24 horas, uma subida face aos números dos dois dias anteriores, tendo sido já confirmados 2.244.635 casos de covid-19 em França desde o início da pandemia.

“Donald Trump quer um acordo para não ser acusado”, diz ex-porta-voz Scaramucci

Num painel da Web Summit, o ex-porta-voz que se tornou crítico disse que Donald Trump quer causar “tanto estrago quanto humanamente possível” para conseguir um acordo de imunidade. Estrategas dos dois lados do espectro político disseram que a reação Trump aos resultados tem causado distração desnecessária.

Portugal compromete-se a gerir de forma sustentável toda a área oceânica até 2025

Segundo o Painel do Oceano, o oceano, que cobre 70% do planeta, dá alimentos diariamente a mais de três mil milhões de pessoas. Nele, faz-se o transporte de pelo menos 90% das mercadorias e contribui todos os anos com 1,5 biliões de dólares para a economia global.
Comentários