Claranet Portugal abre 25 vagas para equipa internacional

As 25 vagas estão distribuídas por três perfis de profissionais para um projeto em plataformas microsoft azure, cloud specialist, cloud architect e cloud consultant, sendo que o início das colaborações está previsto para o início de 2021.

A Claranet Portugal revelou esta quinta-feira, 29 de outubro, a abertura de 25 vagas para a contratação de profissionais de cloud híbrida em Portugal, que deverão integrar uma equipa internacional de especialistas.

Em comunicado, a empresa especialista em tecnologias e soluções de cloud, security e workplace, indica que as novas vagas destinam-se a candidatos de qualquer nacionalidade que residam em Portugal, prevendo o trabalho em modo remoto, a partir dos escritórios da Claranet em Lisboa e do Porto, ou em modo de teletrabalho integral.

As 25 vagas estão distribuídas por três perfis de profissionais para um projeto em plataformas microsoft azure, cloud specialist, cloud architect e cloud consultant, sendo que o início das colaborações está previsto para o início de 2021.

Desta forma, a Claranet pretende dar resposta ao grande aumento da procura por serviços cloud, potenciando ao mesmo tempo as capacidades de recrutamento e retenção de talento da Claranet Portugal.

António Miguel Ferreira, Managing Director para a Iberia & Latin America da Claranet, salienta que a empresa “há muito que aposta no trabalho descentralizado e o facto de uma importante oferta de recrutamento internacional para o Grupo Claranet estar a ser feita em Portugal confirma a nossa capacidade em atrair e reter talentos na área das TI”.

O responsável acredita que “estas ofertas representam uma enorme oportunidade para quem procura um trabalho TI de âmbito internacional, numa área com um potencial tremendo de crescimento como a Cloud e numa empresa com uma cultura reconhecida de inovação”.

Ler mais
Recomendadas

Parlamento anula transferência de 476,6 milhões do Fundo de Resolução para Novo Banco

O Orçamento de Estado acaba de aprovar a bandeira do Bloco de Esquerda de impedir a injeção do Fundo de Resolução dos 476,6 milhões de euros para o Novo Banco. Esta medida deixa o banco numa situação delicada para cumprir os compromissos de limpeza do balanço assumidos com Bruxelas.

AHRESP diz que Programa Apoiar pode não ser acessível a 58% do setor da restauração

A condição obrigatória que as entidades disponham de contabilidade organizada, é um requisito que pode impedir o acesso a 58% das empresas da restauração e bebidas, que são Empresários em Nome Individual (ENI), na sua esmagadora maioria inscritos no Regime Simplificado”, diz a Associação.

Mário Ferreira lança OPA sobre 70% da Media Capital. Paga 0,67 euros por ação

Na sequência de uma deliberação da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, a Pluris Investments, de Mário Ferreira, lançou uma OPA obrigatória sobre a totalidade do capital que não controla na dona da TVI.
Comentários