Cloudflare: “Emigrantes portugueses que estão em Londres querem voltar”

O CTO da Cloudflare, em entrevista ao Jornal Económico, compara Lisboa a Silicon Valey, não só pelo bom tempo meteorológico mas também pelo talento existente nos dois continentes, e garante que os portugueses emigrantes têm vontade de regressar, tendo espaço no novo escritório.

John Graham-Cumming, CTO Cloudflare | Cristina Bernardo

Após a Cloudflare pisar o palco principal da Web Summit, através da diretora de operações e co-fundadora, Michelle Zatlyn, o Jornal Económico falou com o CTO da empresa de cibersegurança, John Graham-Cumming, que abordou a mudança para Lisboa e a construção de um hub na capital portuguesa.

Apesar de estar em Portugal há dois meses, admite que ainda não domina a língua portuguesa mas que tem vontade para tal. Ao Jornal Económico, o CTO assumiu gostar dos portugueses porque estes orgulham-se do próprio país, mas sem serem nacionalistas.

Com a mudança para Lisboa, mais especificamente para o Chiado, John Graham-Cumming afirma que o escritório tem agora uma equipa de 12 pessoas, mas que têm intenções de duplicar até ao fim do ano, e que “até ao fim do próximo ano deveremos ser mais de 100 trabalhadores”. Com o crescimento do hub em Lisboa, John explica que estão a avançar com a transferência para a Avenida da Liberdade ou para o Marquês de Pombal.

“A Cloudflare tem a sede em São Francisco, mas os escritórios estão divididos entre Londres e Austin, no Texas”, explica. “O que queremos fazer em Lisboa é construir o próximo grande escritório de engenharia”, garante o CTO da empresa de cibersegurança.

“Temos 250 colaboradores em Londres, mas queremos crescer rapidamente em Lisboa. Há aqui muito talento, mas também há muitos portugueses que querem voltar, e isso ficou mais claro para eles depois do governo apresentar o incentivo fiscal para emigrantes”, explicou.

Após a empresa anunciar o escritório em Lisboa, John Graham-Cumming garante que “dois empregados portugueses disseram imediatamente que queriam voltar para Portugal”. Com o talento português em destaque na empresa, pois estudaram em Portugal mas aperfeiçoaram os conhecimentos na empresa, John explica que o escritório vai ter uma equipa maioritariamente portuguesa.

Um dos pontos mais importantes para a escolha de Lisboa, embora pareça secundário, foi o mesmo fuso horário que Londres, devido à compatibilidade dos dois escritórios trabalharem em conjunto, e os voos diretos para Londres, diariamente, e para São Francisco, onde está a sede da empresa.

As mais valias de Lisboa, e que se deveram à escolha da capital portuguesa para se fixarem, foi o facto de as pessoas estarem dispostas a mudarem-se, o talento existente na cidade, dado como exemplo a Farfecth, o regresso dos emigrantes como força de talento e o bom tempo. “Foi a escolha certa”, sublinhou.

“As pessoas esquecem-se que é o crescimento que importa, e não onde estamos hoje. Portugal está claramente a crescer e a mudar e isso está a colocar pressão, como se pode ver na habitação, mas o país continua a crescer. Silicon Valey também se foca muito no crescimento e nas mudanças”, sustenta o responsável tecnológico.

No entanto, o CTO vai ainda mais longe. “Acho que devíamos ter apostado em Lisboa há cinco anos”, afirma ao JE, “porque já estava a demonstrar que queria crescer e teríamos um avanço, mas sinto que este é o passo certo”.

“Sinto que Lisboa é mais desejável que Paris, mesmo com ótimas pessoas lá, e vai crescer ainda mais rápido”, afirma John Graham-Cumming.

Ler mais
Relacionadas

JE TV ‘live’ da tarde na Web Summit: Barnier, Cloudflare e o que pode ver esta quarta-feira

Em direto da mega-cimeira tecnológica, os jornalistas do JE destacam as principais novidades, os grandes temas e os oradores que dominam as atenções. Saiba ainda o que pode ver esta quarta-feira na Web Summit.

Até onde chegam as mulheres da tecnologia? Ao palco central da Web Summit

São estrelas em ascensão nos setores em que operam: Daniela Braga e Michelle Zatlyn pisaram o palco principal da Web Summit para demonstrar até onde as mulheres empreendedoras podem chegar.

Americana Cloudflare abre centro de I&D em Lisboa

Actualmente, a rede da Cloudflare abrange 71 cidades na região EMEA.
Recomendadas

Javier Tebas: “Receitas televisivas? 42% do valor vem de fora de Espanha”

O presidente da Liga espanhola, Javier Tebas, falou ao Jornal Económico sobre o processo de digitalização ao qual foi sujeita a La Liga. Este dirigente explicou ao JE como a La Liga se tornou um campeonato global com quase metade das receitas televisivas a virem de fora de Espanha.

Startups brasileiras apostam na transformação de lixo e combate ao desperdício de água

A transformação de lixo e materiais em biocombustível e o combate ao desperdício de água e foram algumas das soluções apresentadas pela BNPetro e Piipee, que marcaram presença na cimeira tecnológica Web Summit, que se realizou na semana passada, em Lisboa.

Paddy Cosgrave: “Estamos a analisar a possibilidade de criar um evento em África”

A quarta edição da Web Summit em Lisboa superou a anterior, mas o seu fundador vai rever algumas coisas no início de 2020 e admite que a sua equipa já está a estudar um novo evento internacional.
Comentários