Coligação Confiança garante que gestão dos resíduos no Funchal vai continuar a ser feita pelo Município

O governante assumiu que, no próximo mandato, a Coligação Confiança vai implementar um novo Plano Municipal de Resíduos e Limpeza Urbana, que resultou de um diagnóstico da situação atual da cidade, permitindo alinhar a estratégia com os desígnios da União Europeia para esta matéria.

A candidatura da Coligação Confiança à Câmara Municipal do Funchal visitou o Departamento Municipal de Ambiente, onde fez questão de garantir que a gestão dos resíduos do concelho vai continuar a ser feita pelo Município.

“Apesar de outras candidaturas pretenderem retirar a capacidade que a CMF tem de gerir os resíduos na cidade, o trabalho feito, os resultados e o reconhecimento dos funchalenses são formas de demonstrar que temos as competências internas, os recursos humanos e materiais, e que, acima de tudo, sempre soubemos procurar soluções de financiamento para colocar o serviço de limpeza a funcionar”, destacou o candidato à presidência da autarquia.

Miguel Silva Gouveia salientou que a visita “permitiu constatar o investimento que tem sido feito no Departamento de Ambiente ao longo dos últimos anos, desde a contratação de recursos humanos, com cerca de meia centena de novos funcionários, até à aquisição de novos equipamentos e à renovação da frota, passando ainda pela atribuição de um subsídio de penosidade e insalubridade a estes trabalhadores, um complemento salarial mais do que merecido e que não existia até ao último mandato”.

O autarca realçou que, num estudo recente, mais de 80% dos funchalenses revelou-se satisfeito com a recolha de lixo na cidade e com a limpeza urbana.

Desta forma, o governante assumiu que, no próximo mandato, a Coligação Confiança vai implementar um novo Plano Municipal de Resíduos e Limpeza Urbana, que resultou de um diagnóstico da situação atual da cidade, permitindo alinhar a estratégia com os desígnios da União Europeia para esta matéria.

“O Funchal é uma referência a nível nacional na recolha de resíduos diferenciados, e isso deve-se ao empenho quer por parte do Executivo, quer por parte dos funcionários camarários, que asseguram com excelência o trabalho árduo que é a recolha seletiva porta-a-porta. Somos das poucas cidades do país que mantêm esse tipo de recolha e os resultados estão à vista, quando somos, por exemplo, responsáveis por dois terços da recolha seletiva na Madeira”, vincou.

Entre os objetivos do Plano Municipal de Limpeza Urbana até 2030 constam: cumprir com as metas europeias, reduzindo os indiferenciados e aumentando a recolha seletiva; potenciar a compostagem; reduzir as emissões de dióxido de carbono por tonelada recolhida; manter a inovação ecológica na limpeza urbana, com zero herbicida, aposta em veículos elétricos e grau de satisfação dos funchalenses superior a 80%; investimento previsto de 10,7 milhões de euros; aplicar tarifários mais justos, segundo o princípio poluidor-pagador; e eliminar o plástico descartável, garantindo maior proteção ao ambiente marinho.

“Com a implementação no terreno deste Plano Municipal de Resíduos e Limpeza Urbana, a Coligação Confiança vai garantir que o Funchal mantém na esfera municipal a gestão dos resíduos, continuando com isso a proporcionar melhor qualidade ambiental na nossa cidade, e qualidade de vida aos nossos munícipes e a todos aqueles que nos visitam”, concluiu o autarca.

Recomendadas

PremiumUnião fez a força para o centro-direita retirar câmaras aos socialistas

Coligações lideradas pelos sociais-democratas conquistaram mais 20 autarquias sem perder nenhuma. PSD isolado teve saldo nulo com PS.

PremiumEleições geram meia centena de imbróglios autárquicos

Porto e Sintra juntam-se às câmaras em que os vencedores estão em minoria na vereação e na assembleia municipal. Mais complicada que Lisboa talvez só mesmo Évora, e número de executivos minorítários disparou em relação a 2017.

Autárquicas: Chega impõe condições para se coligar com PSD e descarta acordos com PS e CDU

Em conferência de imprensa na sede do partido, em Lisboa, André Ventura abordou os resultados das eleições autárquicas de domingo, onde o Chega elegeu 19 vereadores, para referir que “não haverá qualquer acordo nacional autárquico entre o Chega e o PSD”.
Comentários