Premium“Coligação PSD-CDS é anti-natura”

A saúde está entre as prioridades do PS, na Madeira, a que se juntam a criação de emprego e a dinamização e diversificação da economia.

A bancada do PS Madeira na Assembleia Regional conta com uma nova liderança no combate político parlamentar. Miguel Iglésias, que se estreia como deputado, vai assumir a frente de batalha dos socialistas madeirenses. Em entrevista ao Económico Madeira assume a saúde como uma das prioridades e classifica o entendimento que assegurou a governação entre PSD e CDS-PP como “anti-natura”, e a atual orgânica do executivo como atabalhoada.

“É uma grande honra ter sido eleito deputado e uma dupla honra que é reforçada pela indigitação do PS como líder parlamentar. É um grande desafio que temos pela frente de tentar construir uma alternativa de governação”, diz Miguel Iglésias. Classifica a atual maioria, que assegurou a governação na região autónoma, como sendo “anti-natura”, e que nestas primeiras semanas de executivo madeirense se nota uma “completa falta de uma estratégia comum” de governação que se tem refletido em vários incidentes.

“Um dos exemplos é que temos praticamente a mesma composição de Governo, adicionando duas Secretarias e uma pequena distribuição de tutelas. Isto não faz qualquer sentido e ainda é mais reforçado quando o programa de governo vai demorar dois meses a ser apresentado. É um mau começo”, reforça.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor. Edição do Económico Madeira de 8 de novembro.

Relacionadas

PS-Madeira defende reforma do sistema político da Região

O PS desafia ainda os grupos parlamentares, os deputados e todas as organizações políticas e sociais da comunidade em geral “para uma reflexão em torno das propostas de alteração que apresentamos, de forma a atualizarmos os normativos jurídicos basilares do sistema autonómico”.

PS-Madeira questiona Governo Regional sobre atraso na conclusão do concurso para contratação de funcionários

“A postura do ‘devagar, devagarinho’ é inaceitável e vem demonstrar que, para este Governo, investir no melhor funcionamento das escolas colmatando a falta de recursos humanos não docentes não é uma prioridade”, afirmou Rui Caetano, acrescentando que espera que o Secretário Regional da Educação, na discussão do Programa de Governo, esclareça por que motivos todo o processo foi adiado e para quando a conclusão do concurso.
Recomendadas

PremiumPrograma de Governo prevê primeiros passos para desenvolver sistema fiscal próprio

O programa de Governo prevê redução gradual do IRC e IRS, desde que não comprometa consolidação orçamental, e o estudo da baixa do IVA.

PremiumPortugal em contraciclo numa economia “à beira da recessão”

Bruxelas ficou surpreendida com o desempenho português no primeiro semestre de 2019. No entanto, o abrandamento na Europa leva Pierre Moscovici a pedir mais investimento público à Alemanha.

PremiumEspanhóis vão a votos de calculadora na mão

A única certeza do ato eleitoral de domingo é que o PSOE o ganhará. Daí a que os socialistas venham a formar governo vai um longo caminho, recheado de incertezas. O Vox pode fazer a diferença.
Comentários