Com mais de três milhões de casos confirmados, Trump descarta opinião de especialistas e diz que EUA estão num bom caminho

Donald Trump admitiu que “não ouviu os especialistas” e que a leitura que faz dos números da Covid-19 no país indicam que os EUA estão “numa boa posição”.

Mandel Ngan/AFP

O presidente norte-americano descartou e criticou a opinião de Anthony Fauci que considerou que os Estados Unidos ainda se encontram num estado profundo da primeira fase da pandemia da Covid-19. Em entrevista à “a Gray TV”, citada esta quinta-feira pelo “The Guardian”, Donald Trump admite não ter ouvido os especialistas e garante que o país está “numa boa posição”.

“Não concordo com ele”, começou por dizer. “Sabem, o Dr. Fauci disse “não usem máscaras” e agora diz para as usarmos. E sabem ele já disse várias coisas: “Não bloqueiem a China [com restrições de viagens]. Não banem a China e eu fi-lo de qualquer das maneiras. Eu não ouvi os especialistas”, continuou.

As tensões entre o imunologista e diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos EUA e Donald Trump têm escalado devido à qualidade de resposta da administração do presidente à propagação do vírus no país.Fauci, de 79 anos, foi diretor do Instituto Nacional de Alergias e Doenças Infeciosas desde 1984. Emergiu nos primeiros dias da pandemia como uma voz credível.

Mais de 130 mil pessoas já morreram com o novo coronavírus nos EUA, o registo mais alto a nível mundial. O país chega aos três milhões de casos de casos e bate um novo recorde diário, tendo registado nas últimas 24 horas mais de 60 mil casos confirmados.

“Neste momento, testámos mais de 39 milhões de americanos. Entre eles, mais de três milhões estavam positivos e mais de 1,3 milhões recuperaram”, disse o vice-Presidente dos EUA, Mike Pence, para justificar o número elevado de casos.

Estados sob domínio republicano que começaram a reabrir a economia no fim de maio – Texas e Florida estão entre elas – estão a registar um aumento recorde de casos e tem aumentado a pressão sobre a capacidade hospitalar. Medidas de desconfinamento em Estados que eram considerados como o epicentro do vírus, como Nova Iorque e Nova Jérsia, começam a ser colocadas em pausa ou modificadas.

Ainda assim, Trump sublinhou na entrevista que nas próximas duas a quatro semanas “penso que vamos estar em muito boa forma”.

O inquilino da Casa Branca diz que os casos são um reflexo de uma testagem massiva e que a taxa de letalidade é um melhor reflexo de como o país está a superar a crise.

Pelo segundo dia consecutivo, o número de mortes por Covid-19 esteve acima dos 900. A média diária de mortes dos últimos sete dias é 585, menor do que o pico de 2,255 em abril, de acordo com os dados da plataforma “Worldometers”.

Os Estados Unidos continuam com números de pandemia de Covid-19 que as autoridades sanitárias consideram preocupantes, mas a Casa Branca tem atribuído os números das estatísticas ao elevado número de testes, assegurando que o seu Governo está a controlar a situação.

Ler mais
Recomendadas

Unicef estima que cerca de 100 mil crianças foram afectadas pela explosão em Beirute

A Unicef estimou este domingo que cerca de 100 mil crianças foram afetadas pelas explosões em Beirute de terça-feira, apesar de os números ainda serem “confusos”, e alertou para a urgência em ajudar a atenuar as necessidades mais imediatas das vítimas.

Secretário da Saúde dos EUA em Taiwan numa visita reprovada por Pequim

O secretário da Saúde norte-americano, Alex Azar, chegou hoje a Taipei, em Taiwan, onde ficará até quarta-feira, uma visita que tem agravado as tensões entre os Estados Unidos e a China.

Reino Unido regista oito mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas

O Reino Unido registou oito mortes por covid-19 nas últimas 24 horas, em comparação com 55 do período anterior, elevando para um total de 46.574 as mortes devido à doença desde o início da pandemia, anunciou hoje o governo britânico.
Comentários