Com sector de eventos confinado, esta empresa apostou na digitalização para recuperar 100% do negócio

Após um momento de profunda transformação que atingiu o sector dos eventos, a Beamian assiste agora a uma nova fase de reinvenção. Numa altura em que o país desconfina a três velocidades, a plataforma assiste a um crescimento notável graças à aposta na digitalização

A pandemia obrigou a que muitos sectores de atividade económica em Portugal e no mundo se reinventassem como forma de dar resposta aos novos desafios. Foi o caso da plataforma de eventos Beamian, que apostou na transformação digital para dar resposta ao atual contexto pandémico e já regista resultados animadores para os próximos anos.

“A adaptação começou em fevereiro e março de 2020, quando vimos os primeiros eventos a serem cancelados”, conta o fundador Sérgio Pinto ao Jornal Económico. “Primeiro em Itália e Espanha, e depois em Portugal. Na ótica de desenvolvimento de produto, isto refletiu-se no aceleramento e priorização de funcionalidades específicas para eventos virtuais”, explicou.

Desde a aposta na digitalização, a empresa que soma mais de 10 milhões de utilizadores e mais de 120 mil clientes por todo o mundo, conseguiu recuperar 100% da receita através dos eventos digitais e fechou o ano de 2020 com um crescimento na ordem dos três dígitos, embora o CEO reconheça que tenha ficado “muito aquém” das previsões.

“Honesto também será dizer que novos mercados e geografias ficaram ao alcance da Beamian, a partir do momento em que parte dos nossos serviços passaram a ser entregues de forma 100% digital. Neste momento, e a título de exemplo, temos quase 10 mil espaços a utilizar a nossa ferramenta de gestão de lotação, em geografias tão distintas como são os Estados Unidos e a Nova Zelândia”, refere o responsável.

A empresa portuguesa, que acumula mais de um milhão de euros de investimento, onde se inclui a ronda de 2019 por parte da Portugal Ventures, acelerou o desenvolvimento de alguns aspetos da plataforma, sobretudo no que diz respeito a funcionalidades de vídeo integradas e live streaming, o que permitiu que o negócio crescesse em pandemia até Espanha, Alemanha, Áustria e Suíça.

Um dos casos de sucesso da Beamian foi a feira virtual Study Abroad Portugal, uma iniciativa que aconteceu em fevereiro de 2021, em pleno confinamento. Com quase 1.500 participantes inscritos, 93% das instituições presentes no evento receberam pedidos de informação segmentados sobre as ofertas formativas promovidas e cada instituição recebeu, em média, 40 pedidos de informação.

Outro exemplo foi a iniciativa Internship Fair | VTK, uma feira virtual de estágios organizada pela Faculdade de Engenharia e Arquitetura da Universidade de Ghent.

Para meses que se avizinham, a plataforma espera espera continuar com o “papel de servir os organizadores de eventos com uma plataforma simples e focada na geração de oportunidades para todos os utilizadores, sejam eles presenciais ou remotos”, ao mesmo tempo que aposta na internacionalização.

Ler mais
Recomendadas

Exportações da fileira Metal Portugal atingiram em março melhor mês de sempre

As exportações desta fileira industrial alcançaram em março um valor de 1.926 milhões de euros, o que representou um crescimento homólogo de 46%.

Lone Star não tem “para já” planos de venda do Novo Banco

“O Novo Banco está agora a entrar na fase lucrativa”, referiu Evgeny Kazarez, acrescentando que não está previsto haver mais utilizações do CCA (mecanismo de capitalização contingente) porque “na medida do possível” o plano de reestruturação está concluído.

RealFevr levanta 2,2 milhões de euros para criar marketplace de NFT’s e expandir-se para o Reino Unido

O objetivo da ronda de investimento era angariar 1,6 milhões de euros. Para presidente da RealFevr, Fred Antunes, o resultado da ‘equity round’ “demonstra a altíssima procura e apetite dos investidores pela indústria dos NFT’s”.
Comentários