Combustíveis: Mafra proíbe ‘jerricans’ e limita abastecimento a 25 litros por viatura

De acordo com a informação disponibilizada, a autarquia de Mafra proíbe “abastecimento de qualquer jerrican/recipiente depósito anexo para transporte de combustível” e limita o abastecimento a 25 ou 100 litros por viatura, dependendo da tipologia.

A Câmara Municipal de Mafra emitiu um despacho que limita o abastecimento a 25 litros por viatura ligeira e 100 litros para veículos pesados, de acordo com informação partilhada na tarde desta quinta-feira no Twitter da Vost Portugal.

De acordo com a informação disponibilizada, a autarquia de Mafra proíbe ainda o “abastecimento de qualquer jerrican/recipiente depósito anexo para transporte de combustível”.

Neste despacho pode ainda ler-se que “uma vez atingido o limite de reserva legal de cada produto, o fornecimento do mesmo será interrompido até novo reabastecimento do posto”.

No despacho é ainda determinado que todos os operadores de venda de combustíveis no município de Mafra ficam obrigados a conservar 20% do combustível armazenado (gasolina e gasóleo simples) para “uso exclusivo das forças de segurança, forças prioritárias e de apoio comunitário do município”.

A autarquia de Mafra recomenda também que seja promovido “um consumo moderado de combustíveis, evitando atividades que exijam o consumo de combustíveis fósseis e que não sejam essenciais”.

Relacionadas

“Não é possível que o país pare. Serviços mínimos têm que ser garantidos”, diz CDS

No entender do CDS, a prioridade agora é garantir que o país não pare, tal como aconteceu em abril, e considera “razoável” os serviços mínimos decretados.

CGTP diz que Governo está a “atacar e limitar o direito do exercício de greve” com serviços mínimos

“A CGTP discorda do despacho do governo sobre os serviços mínimos, nomeadamente os fundamentos que são susceptíveis de ser utilizados de forma mais geral para pôr em causa um direito que é conquista do 25 de Abril e que a Constituição da República consagra como fundamental”, afirma a CGTP. A FECTRANS, afeta à CGTP, não vai aderir à greve de 12 de agosto.

ANTRAM: Greve dos motoristas “vai ter um impacto muito maior no país do que para as empresas do setor”

“Isto não é uma guerra para ver quem ganha ou quem perde”, garante o porta-voz da ANTRAM, mas “o país, as empresas que sofrem diariamente com o impacto das relações laborais que têm e os trabalhadores que já não vão ter os aumentos para 2020” são os derrotados da greve.
Recomendadas

Beneficiários de prestações de desemprego sobem 0,4% em agosto

O número de beneficiários de prestações de desemprego caiu em agosto 4,1% face a julho, mas subiu 0,4% quando comparado com o mesmo mês do ano passado, para 231.212, segundo as estatísticas mensais oficiais publicadas hoje.

Trabalhadores em ‘lay-off’ tradicional caem 64,2% em agosto face a julho

O número de trabalhadores em ‘lay-off’ tradicional, o regime previsto no Código do Trabalho, caiu 64,2% em agosto face a julho, para 4.828, revelam as estatísticas mensais da Segurança Social divulgadas hoje.

ADSE recua e volta a comparticipar atos prescritos pelo SNS

A Associação Nacional de Beneficiários da ADSE (Associação 30 de Julho) revelou hoje que a ADSE recuou, perante uma reclamação da entidade, e vai voltar a comparticipar atos prescritos pelo Serviço Nacional de Saúde (SNS).
Comentários