Comércio eletrónico em Portugal cresce 17%. Mulheres de centros urbanos, com idades entre os 25 e 44 anos são quem mais compra online

Mulheres de centros urbanos, com idades compreendidas entre os 25 e 44 anos, provenientes da classe social média alta. Este é o perfil do maior consumidor de bens online em Portugal.

O e-commerce, ou comércio eletrónico, em Portugal tem crescido rapidamente. Só no ano passado verificou-se um crescimento de 17%, alcançando um valor total de cinco mil milhões de euros, indica o relatório ‘CTT e-Commerce 2019’, divulgado esta sexta-feira, 8 de novembro.

Uma das principais conclusões do estudo é que existem cada vez mais portugueses a realizar compras online. Segundo o relatório, 46% dos portugueses realizaram uma compra na internet durante o ano passado, observando-se um aumento de 10% em comparação com 2017. Assim, Portugal aproxima-se da média dos países do sul da Europa, que se situa em 47%, embora o mercado espanhol seja o que se destaca mais em termos de crescimento.

Além do número de portugueses a realizar compras online, também o número de compras de produtos aumentou. Em 2018 verificaram-se 13,8 compras anuais, um aumento de 14% em relação ao ano anterior, sendo que também se verificou um aumento da frequência com que se realizam compras.

“As conclusões do relatório mostram bem o crescimento do comércio eletrónico em Portugal, que assume um papel cada vez mais relevante nos hábitos de compra dos portugueses”, explicou Alberto Pimenta, diretor de e-commerce dos CTT. “Os CTT querem continuar a liderar o crescimento deste segmento, em colaboração com startups e outras empresas e lançando soluções inovadoras que propiciem uma excelente experiência de compra”, rematou.

Mas qual o perfil do consumidor online?

O relatório indica que o perfil do consumidor português se caracteriza por ser predominante feminino, com uma presença de compras de 51,5%, concentrando-se entre os 25 e 44 anos, com uma percentagem de 66%, seguido pelos mais jovens, com uma percentagem de 23%.

Sabe-se ainda que este perfil de consumidor online se concentra nos centro urbanos como Lisboa e Porto, sendo oriundos da classe social média alta, com 81%, e de classe média, com 77%. Relativamente à origem das compras, os portugueses continuam a preferir que as suas encomendas cheguem da China, com 70% de preferência, seguindo-se Espanha e o Reino Unido.

smartphone é o canal preferido onde ocorre o pedido da encomenda, com 86% dos inquiridos a realizar pesquisa de artigos que mais tarde encomendam e 80% preferem realizar o pagamento por smartphone. Assim, o relatório sustenta ainda que o preço é um dos maiores atrativos que leva à compra online, face às promoções que se realizam nas lojas físicas.

Como as rotinas podem ser facilmente alteradas devido a imprevistos, a maioria dos entrevistados privilegia a previsibilidade da entrega em termos de horário (52% em dia e 47% em hora), do que o tempo em que a encomenda demora a chegar ao destino (39%).

Ler mais
Relacionadas

CTT duplicam lucros nos primeiros nove meses do ano para 22,9 milhões de euros

“Os resultados agora revelados mostram que as apostas estratégicas da empresa estão a dar frutos, levando ao crescimento dos principais indicadores económico-financeiros”, afirma o presidente executivo dos Correios de Portugal, João Bento.

PremiumA vida das cartas e encomendas até chegarem às suas mãos

Em julho deste ano, o correio ainda representava 68% dos rendimentos dos CTT. Cabo Ruivo é um dos principais centros de comando desta unidade de negócio. Por ali passam diariamente mais de dois milhões de objetos, trabalham 580 colaboradores e acolhe 100 veículos que percorrem 13 mil quilómetros.
Recomendadas

Linha gratuita da Anacom de apoio à migração da rede TDT arranca hoje

A partir desta sexta-feira, qualquer utilizador da TDT pode ligar gratuitamente para o 800 102 002 e tirar dúvidas sobre o processo de libertação da faixa dos 700 Mhz, para dar lugar à quinta geração móvel (5G).

Regras da EBA sobre divulgação de malparado para bancos pequenos entram em vigor a 31 de dezembro

“O Conselho de Administração do Banco de Portugal aprovou a Instrução n.º 20/2019 que introduz no quadro normativo nacional as Orientações da Autoridade Bancária Europeia (EBA) sobre a divulgação de exposições não produtivas e exposições reestruturadas por parte das instituições de crédito menos significativas”, anuncia o supervisor bancário nacional.

Turismo: Dormidas a norte continuam em alta. Madeira é a única região a recuar

Segundo o INE, o Algarve concentrou 33,8% das dormidas, seguindo-se a AM Lisboa (23,9%) e o Norte (14,9%), sublinhando ainda que, desde o início deste ano, são de realçar os acréscimos no Norte de 9,6%,  de 7,9% no Alentejo e na RA Açores de 6,5%.
Comentários