Comissão Europeia majora adiantamentos de pagamentos a agricultores

Segundo um comunicado, esta medida vai permitir majorar de 50% para 70% os adiantamentos dos pagamentos diretos aos agricultores e para 85% (de 75%) dos pagamentos do desenvolvimento rural.

A Comissão Europeia adotou hoje uma medida que permite aos agricultores receberem montantes mais elevados em adiantamentos dos pagamentos da Política Agrícola Comum (PAC) e que se destina aos afetados pela covid-19 e o mau tempo.

Segundo um comunicado, esta medida vai permitir majorar de 50% para 70% os adiantamentos dos pagamentos diretos aos agricultores e para 85% (de 75%) dos pagamentos do desenvolvimento rural.

A Comissão Europeia tem como objetivo apoiar e aumentar o fluxo de caixa dos agricultores afetados pela pandemia da covid-19 e pelo impacto das condições climatéricas adversas em toda a União Europeia (UE).

Algumas regiões foram profundamente afetadas por inundações, por exemplo.

A esta medida aplicam-se, no entanto, as salvaguardas para proteger o orçamento da UE, sendo que os pagamentos apenas podem ser desembolsados uma vez finalizados os controlos e verificações e a partir de 16 de outubro.

As verbas da PAC são atribuídas sob gestão partilhada entre a Comissão Europeia e os Estados-membros da UE, vigorando sistemas abrangentes de gestão e controlo para assegurar a legalidade e regularidade das despesas.

Recomendadas

“Basta de destruir” o Fisco. Trabalhadores dos impostos fazem greve de 1 a 5 de dezembro

Em causa está o descontentamento dos trabalhadores contra a demora na regulamentação na carreira ou a perda de autonomia da Autoridade Tributária e Aduaneira, revela esta quarta-feira o STI.

Rio tem “feeling” na vitória de Moedas e fala de “vigarice” nas sondagens

“Quem vai ganhar? Não sabemos, o meu feeling é que ganha o Carlos Moedas e é isso que temos de continuar a fazer até dia 26 de setembro”, disse Rui Rio.

Bruxelas “acompanha de perto” subida dos preços da energia

“Na situação atual, a Europa precisa de investir em energias renováveis, uma vez que estas oferecem uma alternativa real à nossa dependência de combustíveis fósseis importados”, disse o comissário Kadri Simson.
Comentários