Comissão Europeia multou Qualcomm em 242 milhões de euros

Segundo os responsáveis de Bruxelas, a Qualcomm vendeu a um preço abaixo do custo, com o objetivo de forçar a sua concorrente Icera a sair do mercado, o que é ilegal nos termos das regras de concorrência da UE.

A Comissão Europeia multou a empresa norte-americana Qualcomm em 242 milhões de euros por abuso da sua posição dominante no mercado de circuitos integrados de banda de base 3G.

Segundo os responsáveis de Bruxelas, “a Qualcomm vendeu a um preço abaixo do custo, com o objetivo de forçar a sua concorrente Icera a sair do mercado, o que é ilegal nos termos das regras de concorrência da UE”.

A este propósito, a comissária europeia para a Concorrência, Margrethe Vestager, defendeu que “os circuitos integrados de banda de base são componentes chave para os aparelhos móveis possam ligar-se à internet”.

“A Qualcomm vendeu estes produtos a um preço abaixo do custo para clientes chave com a intenção de eliminar um competidor. O comportamento estratégico da Qualcomm travou a concorrência e a inovação neste mercado, e limitou a escolha disponível aos consumidores num setor com uma grande procura e potencial para tecnologias inovadoras”. Como isto é ilegal de acordo com leis anti-cartel da UE, decidimos hoje multar a Qualcomm 242 milhões de euros”, explicou Margrethe Vestager.

 

Recomendadas

PremiumRangel Pharma vai investir mais 12 milhões de euros

Após dez anos de atividade na logística farmacêutica, Nuno Rangel, CEO do Grupo Rangel, revela um plano de investimentos a cinco anos para quase duplicar a área de armazenagem e criar mais 130 empregos em Portugal.

PremiumCEO da Unicre: “Depois do Porto, estamos em conversas para pagamento ‘contactless’ nos transportes em Lisboa”

Pioneira nos cartões de crédito em Portugal, a Unicre lança um ‘rebranding’ para salientar a base digital, atrair clientes jovens e abrir portas a mercados internacionais, revela o presidente da empresa, João Baptista Leite.

PremiumTesla tem bateria de sobra para dar mais energia às ações

Em 2020, os títulos da Tesla já valorizaram mais 36%. Ao Jornal Económico, o banco de investimento Jefferies explica que a elétrica de Elon Musk tem muito mais para dar para além dos carros.
Comentários