Como fazer o registo de terrenos sem custos?

Os proprietários de terrenos agrícolas e florestais que não estão registados podem fazê-lo de forma gratuita e online através da plataforma BUPi.

Sabia que é possível fazer o registo de terrenos sem qualquer custo? O cadastro simplificado foi uma medida implementada com o intuito de mapear os terrenos sem proprietários e identificar se os mesmos pertencem ao Estado ou a privados. Assim, os proprietários de terrenos por registar podem fazê-lo de forma gratuita. Neste artigo explicamos-lhe tudo sobre esta medida e como pode fazer o registo do seu terreno.

Registo de terrenos: porquê fazê-lo?

O objetivo do cadastro simplificado prendeu-se com a necessidade de o Estado mapear o território nacional de forma a saber a quem pertencem os prédios rústicos (terrenos agrícolas e florestais) não registados para ajudar nas estratégias de combate aos incêndios e ao estabelecimento de responsabilidades.

Para auxiliar o processo de registo foi implementado, em 10 municípios (principalmente nos que tinham sido afetados pelos incêndios de 2017), o Sistema de Informação Cadastral Simplificada, que consistiu num projeto-piloto com vista a regularizar o registo de terrenos até ao final de 2019.

Em agosto de 2019 foi aprovada a Lei nº 65/2019 que alargou o cadastro simplificado a todo o território nacional. Segundo consta no nº 3 do artigo 1º da referida Lei, “o novo sistema de informação cadastral simplificado concorre para a elaboração do cadastro predial rústico no plano nacional.”

Isto significa que todos os proprietários de terrenos por registar podem fazê-lo sem quaisquer custos, seja qual for a sua localização geográfica. Se tem propriedades em seu nome que não estão registadas, não perca a oportunidade de fazê-lo e beneficie da isenção de taxas e, caso tenha interesse, no futuro, em construir casa no seu terreno, não se esqueça de se certificar de que escolhe o crédito para construção mais vantajoso.

Os proprietários dos terrenos só têm os seus direitos protegidos quando a sua propriedade está registada na Conservatória, pois só desta forma é garantido que não existem dúvidas sobre a quem pertence o quê.

Para além disso, este registo proporciona-lhe uma certa segurança adicional, na medida em que evita que a propriedade passe a ser do Estado um dia mais tarde, sendo que o Governo já alertou para a possibilidade de arrendar e vender os terrenos que não forem reclamados.

Como fazer o registo de terrenos?

O registo de terrenos pode ser feito presencialmente numa Conservatória do Registo Predial ou através do Registo Predial Online.

Pode ainda optar por fazer este registo online através da plataforma BUPi (Balcão Único do Prédio).

Fazer o registo de terrenos através da BUPi

A BUPi foi criada com o intuito de facilitar a identificação dos proprietários das zonas que correm risco de incêndio e para prevenir a incidência de fogos de forma a proteger o meio ambiente, os bens e, mais importante que tudo, a vida, tendo como objetivo permitir o reconhecimento de todo o território português de forma simples e inovadora.

Pode efetuar o registo de terrenos através da BUPi de forma totalmente gratuita. Uma vez que o processo se faz online, não precisa de se deslocar a um balcão presencial, podendo fazê-lo no conforto da sua casa.

O primeiro passo é entrar na plataforma BUPi para ter acesso às suas propriedades ou localizar uma nova propriedade. Para tal, necessita de criar uma conta de acesso.

Depois terá de localizar as suas propriedades indicando os limites no mapa digital ou através do carregamento de ficheiros com informações sobre as respetivas coordenadas.

Após isso, a plataforma disponibilizará um termo de responsabilidade, que terá de assinar eletronicamente, e aguardar a validação do processo online por um técnico habilitado. Depois de recebida a validação, o processo encontra-se concluído.

Que documentos são necessários?

Os documentos base para efetuar o registo de terrenos são os seguintes:

  • Caderneta Predial;
  • Representação Gráfica Georreferenciada;
  • Cartão de Cidadão ou Bilhete de Identidade;
  • Número de Contribuinte.

Serão ainda solicitados documentos específicos consoante cada situação – por exemplo, se o registo de aquisição for por compra ou venda, se for por doação, etc. Pode ter acesso à informação detalhada sobre os documentos necessários para cada caso na plataforma BUPi através desta hiperligação.

Até quando pode ser feito o registo de forma gratuita?

Segundo consta no nº2 do artigo 14º da Lei nº 65/2019, “o regime de gratuitidade previsto no número anterior vigora pelo prazo de quatro anos:

a) A contar da data de entrada em vigor da presente lei, para os municípios piloto referidos no artigo 31.º da Lei n.º 78/2017, de 17 de agosto, e para os municípios que dispõem de CGPR ou cadastro predial em vigor;
b) A contar da data de celebração do acordo de colaboração interinstitucional referido no n.º 5 do artigo 1.º, para os restantes municípios.

Quer isto dizer que o registo de terrenos de forma gratuita pode ser efetuado até agosto de 2023.

Quem pode fazer o registo gratuito?

Com a implementação da Lei nº 65/2019, o registo de terrenos passa a poder ser feito, de forma gratuita, por qualquer dono de propriedades ou detentor de outros direitos (arrendatários, superficiário ou município) em todo o país, cujas mesmas estejam omissas na matriz ou que não estejam registadas em seu nome.

 

Ler mais
Relacionadas

Terrenos cadastrados já podem ser regularizados sem pagar multas

O CGPR foi criado no âmbito dos incêndios de 2017 e encontra-se em vigor em 128 concelhos, entre os quais 10 nas regiões autónomas. Agora, quem não tiver os registos atualizados pode fazê-lo sem ser alvo de multa.

Como legalizar uma casa ou obras de construção?

Para fazer obras estruturais são necessárias licenças específicas emitidas pela câmara municipal da localização do imóvel, sob pena de ter uma fiscalização e, consequentemente, ter de pagar uma multa.

Está à procura de casa? Há opções de financiamento para as pré-fabricadas

Independentemente de optar por um financiamento específico ou por um crédito à habitação tradicional, deve sempre ter atenção à sua taxa de esforço. O ideal será que esta não ultrapasse os 33%, para que consiga pagar as suas prestações mensais sem desequilibrar as suas finanças.
Recomendadas

Faturas detalhadas dos postos de combustível obrigatórias a partir de agosto

O regulamento da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) pretende melhorar a informação ao consumidor “de forma clara, objetiva e adequada”, detalhando informação sobre o preço total, taxas e impostos, encargos suplementares de transporte e até despesas de entrega.

Mais de metade dos portugueses considera práticas conscientes e sustentáveis antes de escolher o banco

O estudo do banco Oney revela que os portugueses estão entre os consumidores europeus que mais se preocupa com o consumo sustentável. Separar o lixo, consumir produtos locais e orgânicos e comprar produtos recicláveis são os principais hábitos éticos dos cidadãos nacionais.

Sugestões para evitar doenças cardiovasculares e obesidade

As doenças cardiovasculares e a obesidade são doenças cada vez mais frequentes no mundo ocidental. Combater o desequilíbrio alimentar, com uma dieta equilibrada e exercício físico, tem de ser uma realidade.
Comentários