PremiumComo será o futuro do emprego pós-Covid?

As empresas vão continuar a recorrer a profissionais mais qualificados e o número de trabalhadores a recibos verdes vai aumentar. “Na formação de nível superior, a licenciatura de Bolonha é claramente insuficiente para grande parte das empresas”, afirma o professor António Almeida.

O futuro do emprego promete ser mais tecnológico e ter mais pessoas a trabalhar por conta própria, sempre com o teletrabalho por perto, como referiu a consultora Reditus, mas também o professor de Recursos Humanos do Instituto Politécnico de Setúbal António Almeida ao Jornal Económico (JE). “Haverá um número mais alargado de organizações a recorrer ao teletrabalho, quando até aqui existia um certo preconceito”, sublinhou António Almeida ao JE.

As barreiras ao trabalho remoto foram ultrapassadas “por via administrativa, por decisão política, em que foi necessário colocar milhares de pessoas em regime de teletrabalho”, que veio para ficar, garante o professor de Recursos Humanos.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Netflix pirata. Vírus espalha-se pela WhatsApp e rouba dados dos cartões de crédito

Apesar de a Check Point dizer que «travou» esta campanha de malware, os investigadores avisam de que este tipo de ataque vai continuar a acontecer.

Como lidar com o “day-after” das moratórias? Veja o “Economize”, novo programa de finanças pessoais

Acompanhe o “Economize” na plataforma multimédia JE TV, através do site e das redes sociais do Jornal Económico.

LinkedIn confirma roubo de dados pessoais de 500 milhões de contas

Não foi só o Facebook a ser vítima de um roubo de informações pessoais dos seus utilizadores, agora foi a vez da rede social profissional LinkedIn.
Comentários