PremiumComo vamos alimentar 10 mil milhões em 2050?

O JE promoveu no passado dia 16, a conferência “Alimentar o Futuro”, marcando o arranque da 10.ª edição dos ‘Food & Nutrition Awards’. O evento contou ainda com a Sustainable Society Iniciative e o apoio da Vieira de Almeida & Associados (VdA).

“Do business as usual para o business unusual” foi o mote da intervenção nesta conferência de Jorge Portugal, diretor geral da Cotec. Convidando ao difícil exercício de prever o futuro, Jorge Portugal começou por frisar que o acréscimo de mais três mil milhões de pessoas até 2050 (10 mil milhões no total) lança o desafio de responder a maiores necessidades de produção alimentar. No capítulo do desperdício alimentar nas sociedades ocidentais, considera que a cadeia de produção está muito eficiente (entre produção e distribuição de alimentos perecíveis e não perecíveis), embora continue a existir a necessidade de melhorar todo o processo. Mas os desafios não se ficam por aqui.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Governo está a negociar mais medidas de apoio à agricultura que podem ir até aos 35 milhões de euros

Maria do Céu Albuquerque anunciou ainda que o Governo está a trabalhar na linha de crédito que foi criada com o Fundo Europeu de Investimento, de cerca de 300 milhões de euros, para alargar os critérios de acesso a investimentos já em execução.

Ministra da Agricultura participa na apanha da cereja no Fundão

O Ministério da Agricultura destaca que a região da Cova da Beira é considerada uma das maiores zonas de produção de cereja a nível nacional.

Governo promete estudar linha de crédito bonificada para prejuízos na cereja

“Uma das medidas que, eventualmente, podemos vir a estudar, é a da criação de uma linha de crédito bonificada para ajudar, de facto, a haver um reforço adicional de tesouraria e de fundo de maneio para passagem desta fase”, apontou Maria do Céu Albuquerque.
Comentários