Compra da Tagusgás pela Galp Gás foi assessorada pela Sérvulo e pelo BCP

Galp Gás Natural Distribuição anunciou esta segunda-feira a conclusão do negócio de compra da Tagusgás, empresa de distribuição de gás natural na região Centro do país, por um valor de 32 milhões de euros. A Sérvulo foi o assessor jurídico e o Millennium BCP o assessor financeiro.

GALP

A Galp Gás Natural Distribuição, concluiu com a Gásriba, a aquisição de 58,03% da Tagusgás por um montante de cerca de 32 milhões de euros.

Nesta operação, anunciada ontem ao mercado, a Galp Gás Natural Distribuição foi representada juridicamente pela equipa da Sérvulo, liderada por Teresa Anselmo Vaz, com a assessoria de Francisco Estácio.

O assessor financeiro da operação foi o Millennium Investment Banking.

A compra foi previamente autorizada pelo Governo Português, como concedente ao abrigo do Contrato de Concessão de 2008, após a não oposição da Autoridade da Concorrência portuguesa e da ERSE – Autoridade Reguladora dos Serviços Energéticos.

A GGND é a principal distribuidora de gás natural em Portugal, com uma base de ativos regulados (RAB) de cerca de mil milhões de euros e cerca de 1.450 milhões de metros cúbicos (m3) de gás natural distribuído anualmente através das suas oito empresas de distribuição de gás natural em Portugal. No país há 11 empresas de distribuição de gás natural.

A Tagusgás já era participada pela Galp em 41%, mas com a compra destes 58% que estavam nas mãos da empresa Gásriba, a Galp passa a deter o controlo de 99% da Tagusgás, tal como diz o comunicado: “Após o closing da aquisição, a GGND passa a deter 99,36% do capital social da Tagusgás, que opera principalmente a concessão de distribuição de gás natural nas regiões de Santarém e Portalegre, com base regulada de ativos de cerca de 82 milhões de euros e cerca de 122 milhões de m3  de gás natural distribuído anualmente”, refere a nota.

A Galp Gás Natural Distribuição é detida pela Galp e pela japonesa Marubeni

 

Ler mais
Recomendadas

Martim Menezes é novo sócio da Abreu

Advogado saiu da CCA para reforçar Contencioso e Comercial do escritório liderado por Duarte d’Athayde.

PremiumOptimal prevê mais operações após negócio da Frulact

Sociedade detida por José Maria Ricciardi, Jorge Tomé e Paulo Tenente assessorou o fundo Ardian na compra da Frulact. ‘Managing partner’ está otimista quanto à atividade em 2020 nas fusões e aquisições, e não só.

Mazars com crescimento de 10,4% do volume de negócios

Em Portugal, a Mazars registou um desempenho positivo em 2018/2019. No horizonte 2020 perspetiva-se que a conjugação do crescimento orgânico com operações de crescimento externo permita um crescimento a dois dígitos, acrescenta a empresa internacional de auditoria e consultoria.
Comentários