Comprimidos para sexo no topo de medicamentos apreendidos em Portugal

Dos oito medicamentos mais apreendidos em Portugal, sete deles são para o tratamento da disfunção erétil enquanto o outro serve para estimular o desejo sexual e a libido, sendo que todos estes produtos são fármacos ilegais por não terem autorização para o mercado português, avança o Jornal de Notícias.

Entre os anos de 2015 e 2019 foram apreendidos perto de 2,5 milhões de comprimidos e cápsulas por suspeitas de falsificação, avança o ‘Jornal de Notícias’ esta terça-feira, 21 de janeiro. As apreensões foram realizadas pelas alfândegas portuguesas que no último ano intercetaram 721 mil unidades de medicamentos, representando um acréscimo de 48% face ao ano anterior.

A publicação, com recurso a dados do Infarmed, afirma que a China, Índia, Brasil e Estados Unidos da América são os principais países de origem dos medicamentos que ficaram retidos. O principal fármaco apreendido é para o tratamento da disfunção erétil, seguindo-lhe produtos para o sistema nervoso e analgésicos.

Do total de medicamentos apreendidos desde 2015 – 2.504.404 – apenas 10% foram destruídos pelas autoridades responsáveis. A maioria, por sua vez, foi devolvida ao remetente por não possuírem “as autorizações legalmente exigidas”.

Dos oito medicamentos mais apreendidos, sete deles são para o tratamento da disfunção erétil enquanto o outro serve para estimular o desejo sexual e a libido, sendo que todos estes produtos são fármacos ilegais por não terem autorização de introdução no mercado português, além de conterem substâncias ativas que só podem ser utilizados em medicamentos.

Recomendadas

Amnistia Internacional: Governos devem ser responsabilizados pelas mortes de profissionais de saúde

O relatório dá ainda conta de mais de três mil trabalhadores da saúde mortos desde o começo da pandemia com Covid-19. No total, há registo de óbitos em 79 países sendo que os EUA lideram com mais de 500 mortes.

ONU: Mais de 130 milhões de pessoas no mundo poderão ficar à fome devido à pandemia

A ONU alertou que o Objetivo Fome Zero até 2030 está em risco, sendo que quase 690 milhões de pessoas passaram fome em 2019, número que pode ser agravado este ano com o impacto da pandemia.

DGS alerta para perigos da subida de temperaturas

A Diretora-Geral da Saúde, Graça Freitas, alertou esta segunda-feira para os perigos do calor que se vai fazer sentir esta semana, com um aviso especial para as crianças, idosos, grávidas e doentes crónicos, por representarem grupos mais vulneráveis.
Comentários