Comunistas podem terminar ciclo de 15 anos abaixo do ponto de partida

Depois da perda de câmaras tão importantes quanto Almada e Barreiro nas autárquicas de 2017 e de ficar sem um mandato nas europeias de 2019, a CDU parte para as legislativas com sinais de que poderá reduzir o grupo parlamentar e ver alargar-se o fosso para o Bloco de Esquerda numa altura em que a sucessão de Jerónimo de Sousa enquanto secretário-geral do PCP começa a estar na ordem do dia.

Recomendadas

Infografia | Novo mapa autárquico abala hegemonia socialista com epicentro em Lisboa

A conquista da capital por Carlos Moedas foi a principal de uma série de vitórias do centro-direita nas eleições autárquicas de 26 de setembro. O PS mantém a liderança em número de câmaras e de votos, assegurando a terceira vitória consecutiva, mas as coligações ajudaram o PSD a recuperar terreno. Para o PCP e PEV volta a repetir-se o pior resultado de sempre, restando-lhes 19 autarquias.

Quando menos é mais: Portugal mantém-se abaixo da média de falências na União Europeia

Depois de ter registado um volume de insolvências significativamente acima do da zona euro logo no arranque da crise pandémica, no 2º trimestre de 2020, Portugal conseguiu manter-se o seu tecido económico mais intacto do que os seus parceiros europeus, sendo que o 1º trimestre de 2021 até registou um cenário mais positivo do que igual período de 2015. Ainda assim, o impacto no turismo e transportes é evidente.

Seleção mais valiosa de sempre quer repetir conquista

Em 2016, Cristiano Ronaldo valia um terço da avaliação global da Seleção portuguesa, numa equipa ‘low cost’ que surpreendeu os franceses. Cinco anos depois, o cenário é radicalmente diferente: Fernando Santos regressa ao Europeu com a quinta equipa mais valiosa e inserido no chamado “grupo da morte” com duas das formações com mais valor de mercado.
Comentários